MobiecoEscape

Federação europeia acusa novos Diesel de poluírem mil vezes mais que o permitido


Data: 13 Janeiro, 2020

Nova machadada no Diesel, na Europa. Um estudo encomendado pela Federação Europeia dos Transportes e Ambiente conclui que, mesmo no caso dos modelos mais recentes, com filtro de partículas, a poluição emitida pelos automóveis a gasóleo atinge níveis “mil vezes acima dos valores normais”.

Divulgado, esta segunda-feira, pela associação ambientalista ZERO, através da Agência Lusa, o estudo encomendado pela Federação Europeia dos Transportes e Ambiente, tem por base, segundo os ambientalistas, testes realizados por “laboratórios independentes”, com “dois dos veículos [automóveis] mais vendidos na Europa” – o Nissan Qashqai e o Opel Astra.

Segundo as conclusões agora conhecidas, estes dois modelos, equipados com motores Diesel, terão revelado níveis de poluição “mil vezes acima dos valores normais”.

Neste estudo, é, de resto, apontado o dedo à limpeza e regeneração dos filtros de partículas dos veículos, processos em que, segundo a ZERO, se atingem “picos de emissão que são particularmente graves para o coração”.

O Nissan Qashqai, segundo modelo mais vendido do seu segmento na Europa, foi, a par, do Opel Astra, um dos modelos em análise no estudo da Federação Europeia dos Transportes e Ambiente

Estes momentos “podem verificar-se em áreas urbanas a cada 15 quilómetros e são efetivamente ignoradas pelos testes oficiais de emissões”, sentencia a associação.

ZERO pede mais intervenção do legislador

Assim e perante as conclusões deste estudo, a ZERO defende que “os legisladores europeus e nacionais devem aceitar definitivamente que os veículos a gasóleo ainda são altamente poluentes e devem tomar medidas urgentes”.

Entre as medidas a tomar, a associação pede o “apertar dos limites de emissão e os testes de emissões serem mais rigorosos”.

ACAP contesta

Ouvido pela TSF, o secretário-geral da Associação de Comércio Automóvel de Portugal (ACAP) mostrou-se já surpreendido com as conclusões deste estudo sobre a poluição do Diesel. Não deixando de salientar o facto de, “nos últimos dois anos”, “este tipo de estudos vindos dessa federação”, serem “recorrentes”.

Sendo que, a exemplo dos anteriores, também este estudo, poderá vir a ser contestado “pela nossa associação europeia”, concluiu Hélder Pedro.

LEIA TAMBÉM
AdBlue: O que é e para que serve?