Dez motivos para o seu motor perder potência


Data: 7 Novembro, 2017

Se não tiver os devidos cuidados, “é sempre a descer…”. Veja aqui uma dezena de razões que podem fazer o seu motor perder potência com o passar dos anos.

Se é proprietário do mesmo automóvel há algum tempo, talvez tenha começado a sentir que ele já não tem a mesma resposta de quando era novo… Tal como acontece com os seres vivos, o motor do automóvel também sente a passagem dos anos. Além disso, como acontece com as pessoas, se não forem tidos em conta determinados cuidados o declínio pode ser mais acentuado e rápido. Existem vários motivos para o motor perder potência com o passar do tempo, com origem nos quatro pontos da equação que são essenciais nos propulsores de combustão interna: ar, combustível, compressão e faísca/ignição. Aqui ficam agora apresentados, numa breve explicação acompanhada do respetivo vídeo, dez motivos para o motor perder potência com o passar dos anos.

Ar
Filtro de Ar: Como o próprio nome indica, é um filtro. Isso significa que retém poeiras e sujidades. Mas quando estas se acumulam, é preciso mais esforço do motor para puxar ar, resultando em perdas de potência.
Cabo de Acelerador Solto: Este caso é para os aceleradores que utilizam um cabo mecânico. A utilização contínua do pedal, e consequentes esforços, fazem com que o cabo fique solto, não permitindo abrir totalmente a admissão de ar.
Conversor Catalítico: Com a contínua passagem dos gases de escape pode ir ficando entupido, o que resulta em desequilíbrios na mistura ar/combustível
Silenciador: Como no caso anterior, os depósitos e ferrugem vão ter impacto no envio do ar para o motor. Neste caso, o próprio desgaste das tubagens internas acaba por ter também efeitos nefastos
Combustível
Injetores: As temperaturas a que são sujeitos, e também a má qualidade dos combustíveis utilizados, podem diminuir o fluxo de gasolina ou gasóleo para o motor. Isto significa menos para queimar no processo pelos erros na mistura ar/combustível e, consequentemente, menos potência do motor
Bomba de Combustível: A origem do problema é diferente, mas a questão é a mesma: desgaste resultam em menos combustível a chegar ao motor. Este problema regista-se especialmente em subidas ou esforços prolongados, como acelerações fortes ou velocidades mais altas em autoestrada
Compressão
Anéis do pistão: O desgaste provocado ao bater nas paredes do cilindro significam desequilíbrios na compressão. Para evitar ou minimizar a existência deste problema, tente trocar o óleo nos intervalos mínimos recomendados
Depósitos nas Válvulas: Ao não encerrar totalmente a câmara de combustão, existe uma perda de compressão, desequilíbrios na mistura ar/combustível e ainda o risco de “ricochete”.
Faísca
Vela de Ignição: Com o passar do tempo vão acumulando sujidade e ganhando desgaste. Isto resulta em falhas ou inconsistências na ignição
Pancadas: Por existirem depósitos nas paredes dos cilindros e nos pistões, o motor atrasa os ciclos, com a faísca a surgir num momento mais tarde. E esta situação resulta também em perdas de potência.

Fonte: Engineering Explained

Partilhar