Descubra o que mudou no Volkswagen Golf

Texto: Nuno Fatela
Data: 10 Novembro, 2016

A Volkswagen já deu a conhecer o renovado Volkswagen Golf, que chegará ao mercado no final de março de 2017 e procura manter-se um passo à frente da concorrência antes da chegada da oitava geração deste histórico modelo, prevista para 2019. A estética exterior do modelo mantém os seus traços característicos, mas com ligeiras alterações nas linhas do para-choques e um apelo superior nos grupos óticos através da incorporação da tecnologia LED. Além da marca destacar a “chamativa dinâmica visual entre as luzes de marcha-atrás LED e a luz de travão LED”, outro atrativo é a integração de indicadores de mudança de direção dinâmicos.

Para o interior verifica-se a opção da Volkswagen por novos materiais de qualidade superior, mas o que chama efetivamente à atenção é o reforço da digitalização do habitáculo, que alcança o seu esplendor máximo no opcional painel de instrumentos virtual, com 12,3’’, que estreou com o Passat. As funções de infotainment passam a contar com ecrãs de dimensões superiores, que podem ser agora de 6,5’, 8,0’ e 9,2’, este último reservado à versão de topo Discover Pro que pode utilizar, tal como o concept Golf R Touch revelado na CES, comandos gestuais. A recarga por indução dos telemóveis passa a estar também contemplada.

 

A atualização tecnológica do Golf chega também ao capítulo das assistências, tornando mais fácil a vida do condutor ao integrar a possibilidade do compacto seguir em modo autónomo durante os engarrafamentos, quando a velocidade é inferior a 60 km/h. Além disso, foi incluído um sistema “Emergency Assist” que, reconhecendo que o condutor não está atento ao volante, envia diversos avisos e pode mesmo deter totalmente a viatura. Para terminar, a salvaguarda dos outros utentes da via está garantida pela travagem de emergência agora com capacidade de deteção de peões.

A gama de motores tem a principal novidade no gasolina 1,5 TSI EVO, que apresenta tecnologias pouco usuais no segmento como o turbo de geometria variável e, principalmente, o sistema de desativação de dois dos seus quatro cilindros. Disponível com 131CV e 150CV, a primeira das duas versões é denominada BlueMotion, devido à sua elevada eficiência. Uma das novidades que introduz é a possibilidade de desligar totalmente o motor ao retirar o pé do acelerador, uma função que, afirma a VW, até ao momento era exclusiva dos veículos híbridos. Este e os restantes motores da gama ligados a caixa automática vão passar a contar com uma transmissão DSG de sete velocidades, que em relação à anteriormente implementada e com seis relações oferece maior suavidade aliada a uma redução de consumos que pode alcançar os 10%.

 

Por fim existe uma atrativa novidade no campo dos desportivos GTI, que passa por um ligeiro aumento da potência destas entusiasmantes versões. O poder de fogo dos motores foi ligeiramente aumentado, com o Golf GTI a subir dos 220CV para os 230CV, enquanto o ‘GTI Performance’ recebe um upgrade de 15CV para os 245CV.

Partilhar