Publicidade

Consumo de petróleo e emissões continuam a aumentar

Texto: Miguel Policarpo
Data: 15 de Junho, 2018

A BP lançou o relatório anual sobre o consumo de energia “Statistical Review of World Energy“, em que sublinha diversos factos sobre o tema. Conheça os principais destaques do relatório deste ano.

Um dos principais protagonistas da exploração de petróleo e produtos derivados, a BP, publicou o seu relatório anual sobre o consumo de energia. O “Statistical Review of World Energy” confere aos leitores uma janela sobre o atual panorama do consumo energético, permitindo também explorar o tema das energias alternativas. As emissões de carbono continuam a subir, os preços do crude foram os mais altos desde 2014 e as energias renováveis ainda têm um longo caminho a percorrer até poderem disputar o domínio dos combustíveis fósseis. Eis as principais conclusões retiradas deste relatório.

Procura global de energia acelerou 2.2% em 2017
Aumento em 17% das energias renováveis pouco relevante para compensar domínio dos combustíveis fósseis
... numa economia global em rápida expansão
Procura de hidrocarbonetos aumenta
À boleia do aumento de 3% do consumo de gás natural, o mais rápido desde 2010
A procura por petróleo aumentou 1.8%
Consideravelmente mais elevada em relação aos últimos 10 anos
Uso de carvão também aumentou
Pela primeira vez desde 2013, o uso de carvão aumentou, em 1%, impulsionado principalmente pela China e India
O carvão corresponde ainda a 38% da produção de energia
Um valor praticamente inalterado desde 1997
A fatia correspondente aos combustíveis alternativos diminuiu ligeiramente
Como resultado do encolhimento da energia nuclear
A produção de energia é responsável por cerca de ⅓ das emissões de carbono
As emissões de carbono cresceram 1.6% durante o último ano
Apesar de as emissões terem aumentado comparativamente aos resultados dos últimos três anos, são, ainda assim, mais baixas do que a média dos 10 anos precedentes a 2014.
Os preços do crude são os mais altos desde 2014
Graças à exploração do petróleo de xisto, os Estados Unidos da América ultrapassaram a Arábia Saudita em 2017
Tornando-se no segundo maior produtor de petróleo do mundo, atrás da Rússia.
Em resposta, a OPEP, a Rússia e outros produtores de petróleo reduziram a sua produção global
... em cerca de 1,8 milhões de barris por dia, para limitar os estoques e inflacionar os preços
A produção dos EUA, no entanto, compensou essas medidas
Com o cresimento de 2 milhões de barris por dia de petróleo e gás natural líquido desde outubro de 2016.

Fotos: BP