Combustíveis em risco de disparar 13 cêntimos

Texto: João Monteiro de Matos
Data: 17 Setembro, 2019

O preço dos combustíveis deverá agravar-se já na próxima semana, resultado do possível aumento da cotação do petróleo nos mercados internacionais devido ao ataque contra as instalações petrolíferas da Arábia Saudita na segunda-feira, 16 de setembro.

De acordo com a edição do Correio da Manhã desta terça-feira, 17 de setembro, o Brent, que serve de referência às importações nacionais, esteve a subir mais de 19% para 71,95 dólares por barril. Entretanto aliviou a valorização, mas continua acima dos 65 dólares em Londres, estando ligeiramente acima dos 60 dólares em Nova Iorque.

A última vez que o Brent atingiu os 70 dólares foi há cerca de seis meses. Em maio, por exemplo, o barril fechou abaixo desta barreira em três sessões, o que se refletiu nos preços dos combustíveis nas bombas. O preço médio da gasolina simples 95 foi, à época, de 1,599 euros, enquanto o do gasóleo de 1,424 euros, afirma o ECO.

Hoje em dia, o preço de referência da gasolina situa-se atualmente em 1,475 euros por litro, após cinco semanas em baixa.

Há assim uma diferença de 12,4 cêntimos por litro. No caso do gasóleo, a diferença é menor – 6,7 cêntimos entre os valores de maio e os atuais 1,357 euros por litro.