Publicidade

Em 2023. China ultrapassa Japão como maior exportador automóvel mundial

Texto: Francisco Cruz
Data: 21 de Agosto, 2023

Há não tanto tempo quanto isso, o maior exportador automóvel no mundo, o Japão foi ultrapassado, na primeira metade de 2023, pela vizinha China. Objectivo para o qual, diga-se, muito tem contribuido a ofensiva de internacionalização, nomeadamente para a Europa, de muitos fabricantes chineses de veículos elétricos.

As conclusões, noticia a Automotive News Europe, têm por base dados recolhidos junto dos principais grupos comerciais de China e Japão, que apuraram os números referentes à primeira metade de 2023.

Assim e segundo a Associação de Fabricantes Automóveis do Japão, o ‘País do Sol Nascente’ viu as exportações de veículos automóveis aumentarem 17%, face ao último ano, para os 2,02 milhões de unidades, só nos primeiros seis deste ano.

Já a China, conseguiu exportar, no mesmo período, um total de 2,34 milhões de automóveis, número que representa uma subida de 77%, face a 2022, concluem os dados da Associação de Construtores Automóveis da China (ACAC).

De resto e já segundo os dados alfandegários obtidos pela mesma associação, também o valor das exportações chinesas de veículos acabou subindo cerca de 110%, para os 46,4 mil milhões de dólares (qualquer coisa como 42,5 mil milhões de euros, à cotação atual).

Veículos elétricos são o motor do crescimento

Escalpelizando os números, a ACAC revela ainda que, como principal impulsionador deste crescimento, surgem as exportações de veículos elétricos, as quais subiram, só no primeiro semestre de 2023, 160%, atingindo, assim, a marca das 543.000 unidades.

LEIA TAMBÉM
Novidade? Estudo alerta para o perigo da China na indústria automóvel europeia

Recordar que, em 2022, as exportações de automóveis oriundos da China já registavam um crescimento anual na ordem dos 54%, para os 3,1 milhões de veículos. Valor que permitiu, então, à indústria automóvel do também chamado ‘Império do Meio’, destronar a Alemanha, como segundo maior exportador de automóveis no mundo, refere a Automotive News Europe.