Publicidade

Superdesportivos vão obrigar a carta de condução especial. Também em Portugal?

Texto: Carlos Moura
Data: 10 de Agosto, 2023

As autoridades australianas decidiram introduzir uma nova categoria na carta que habilite à condução de automóveis superdesportivos. Será que a moda pega e se alastra à Europa, com Portugal incluído? 

Para conduzir determinados tipos de veículos como camiões, com e sem reboque, autocarros ou tractores agrícolas é necessário ser detentor de títulos de habilitação legal que possibilitem a utilização desse tipo de viaturas.

Tudo indica que uma habilitação legal específica também se vai estender à categoria dos automóveis superdeportivos. Pelo menos é essa a intenção das autoridades australianas, as quais alegam que ter capacidade económica para adquirir viaturas deste tipo não significa sentido de responsabilidade a quem se senta atrás do volante. 

Aliás, em mãos incorretas, um superdesportivo pode ser muito perigoso pelo que os australianos decidiram avançar com uma medida que procura aumentar a segurança rodoviária.

Assim, a partir de 1 de janeiro de 2024 será obrigatório passar por uma espécie de curso de consciencialização que incluirá exames e exercícios do tipo teórico para permitir a habilitação legal para a condução de um ligeiro de passageiros ou um SUV com uma relação entre peso bruto e potência superior a 370 cv por tonelada.

Segundo as autoridades australianas, o novo título de condução tem por objetivo consciencializar os proprietários e ou utilizadores desse tipo de viaturas para os riscos inerentes à sua condução devido à capacidade de aceleração e ao seu comportamento dinâmico.

Classe U

Apesar da nova categoria, denominada Classe U, se aplicar, para já, apenas à Austrália, obrigando à aquisição de conhecimentos básicos relativos ao controlo desse tipo de veículos, também se poderia estender, mais cedo ou mais tarde, a alguns países mais progressistas (ou fundamentalistas) da Europa. Até agora, a União Europeia não se pronunciou a esse respeito nem essa medida está prevista na revisão da diretiva europeia das habilitações legais para a condução de veículos.

Voltando à Austrália, a introdução da nova categoria da carta de condução surgiu na sequência de uma discussão acerca de um acidente ocorrido no verão de 2022, quando um condutor de um Lamborghini Huracán perdeu o controlo do seu veículo e atropelou mortalmente uma jovem de 15 anos em Adelaide que se encontrava na berma.

Aquele acidente desencadeou uma cruzada institucional e mediática contra os automóveis de elevadas prestações, embora as vendas não se tenham ressentido. De qualquer forma, a introdução desta medida é irreversível e a infração será considerada um delito grave de negligência, a qual será sancionada com uma pena de prisão até cinco anos (ou sete em caso de reincidência, álcool ou drogas).

LEIA TAMBÉM
União Europeia vai introduzir título de condução digital e aumentar limite da carta B

A nova legislação fará pensar duas vezes um cliente australiano que queira comprar veículos de fabricantes como a Ferrari, Porsche, Koenigsegg, Bugatti, Pagani, Lamborghini, McLaren, Rimac ou mesmo Tesla. De fora da lista, mas por pouco, ficam modelos como o BMW M8 ou o Mercedes-AMG GT R. De qualquer maneira será proibido desativar os assistentes eletrónicos.