Califórnia é campo de testes da Mercedes e Bosch para autónomos

Texto: Nuno Fatela
Data: 29 Julho, 2018

Os dois gigantes alemães anunciaram que vão trabalhar em conjunto para realizar testes-piloto na região próxima costa do Pacífico dos Estados Unidos, tendo como objetivo antecipar-se aos adversários na implementação dos níveis 4 e 5 de condução autónoma. Esta parceria Mercedes Bosch vai estar nas estradas, com várias soluções de mobilidade, na segunda metade de 2019.

Em estreita colaboração desde 2017, quando começaram a trabalhar em conjunto para acelerar o desenvolvimento das viagens não-tripuladas, foi agora anunciado um novo patamar na parceria Mercedes Bosch para a condução autónoma. As duas empresas, que já uniram esforços nas cidades de Estugarda (Alemanha) e SunnyVale (Silicon Valley, Estados Unidos), anunciaram que estão a preparar testes conjuntos para o nível 5 da ‘condução sem condutor’, que vão estar nas estradas a partir do segundo semestre de 2019 na cidade da Califórnia, localizada no estado americano com o mesmo nome.

Em comunicado a Mercedes afirma que “a Daimler e a Bosch possuem os conhecimentos em termos de componentes, veículos e modos de operacionalidade” e vão agora partir para testes conjuntos nesta área de investigação. O objetivo é acelerar a implementação nesta solução de mobilidade, sendo indicado que estas “sinergias permitem apresentar esta nova tecnologia totalmente validada em antecipação”, sendo explicado ainda que neste caso a Mercedes fornece os veículos e a Bosch os componentes. Também a Nvidia se junta ao projeto, disponibilizando os processadores responsáveis por lidar num ínfimo espaço de tempo com as imensas quantidades de informação obtidas.

A partir do segundo semestre de 2019 a ideia é utilizar um conjunto de rotas programadas na cidade da Califórnia, próxima de Silicon Valley e integrada no condado de Kent, para oferecer várias soluções distintas de viagens nos níveis máximos da condução autónoma. Temos como exemplos fornecidos pela Mercedes a partilha de veículos, com o Car2Go, a requisição de viagens pelo MyTaxi e ainda os percursos intermodais com o Moovel, todos eles a poderem ser encomendados a partir do smartphone. A gerir estas diversas alternativas de mobilidade estará a Daimler Mobility Services.

 

Para todos eles se torna essencial a plataforma de inteligência artificial da Nvidia, que nesta parceria Mercedes Bosch integra as unidades de controlo dos testes conjuntos. Ela ocupa papel primordial por supervisionar as informações dos vários sensores em tempo reduzido, servindo como base de confiança essencial para a receção e processamento dos dados necessários para viajar nos modos 4 e 5 de condução autónoma.

É explicado que os veículos da parceria Mercedes Bosch vão utilizar circuitos diferentes a operar em paralelo, que depois fornecem os dados para a plataforma Nvidia ler e interpretar segundo os algoritmos criados pelos dois gigantes germânicos da indústria automóvel. E trabalho certamente não faltará. pois esta rede vai ter de processar, em apenas milissegundos, com as informações captadas por sensores de radar, câmaras de vídeo e ultrasom. Ou seja, fazer aquilo que a marca da estrela designa como “a fusão dos dados de sensores”, com a necessidade de processar triliões de operações em cada segundo. Algo que, nesta parceria Mercedes Bosch, revela a preocupação com dois requisitos obrigatórios para a condução autónoma: a obtenção de dados a partir de diversos sensores distintos (porque se um falhar, haverá outro que garante segurança) e também a rapidez de processamento das informações (para tomar as melhores decisões no menor espaço de tempo).

 

Veja também: 

Como vão os carros andar sozinhos no futuro

Veículos não tripulados podem potenciar o consumo de alcool

O impacto dos veículos autónomos no mercado automóvel

Rolls-Royce afirma ter sido a pioneira na condução autónoma