Mobieco

Bosch já testa Diesel renovável

Texto: Nuno Fatela
Data: 18 Janeiro, 2019

Este Diesel renovável é fabricado sem combustível fóssil, reduzindo as emissões de CO2. A Bosch avalia agora o potencial para a introdução a larga escala.

No último ano demos a conhecer o projeto da Audi que criou gasóleo sem emissões de CO2, e agora mostramos-lhe outra solução que pode prolongar a vida dos motores de combustão. Tudo porque a Bosch revelou estar já a testar em estradas públicas a introdução de Diesel renovável, que apesar de ser designado como “Diesel” não tem qualquer combustível fóssil na sua composição. De momento esta alternatiiva pode ser encontrada nas instalações da Bosch de Feuerbach, Schwieberdingen e Hildesheim, na Alemanha.

 

O Diesel renovável que está a ser usado é produzido pelos finlandeses da ‘Neste’ e distribuído pela Toolfuel, e tem o nome oficial de C.A.R.E. (CO2 reduction; Artic Grade; Renewable; Emission Reduction). Para a Bosch ele é fornecido pela Shell com o nome R33 Blue Diesel, em referência aos 33% de materiais recicláveis na composição, onde se incluem óleos culinários e outras gorduras reaproveitadas. A Bosch afirma que conseguiu reduzir, nos cerca de 1000 automóveis que abastecem nestes postos regularmente desde novembro, uma descida descida de 20% nas emissões ao longo de todo o ciclo de vida do Diesel renovável.

Mas, segundo as expetativas da ToolFuel, a introdução a larga escala poderia significar menos 65% de CO2 emitido ao longo de todo o processo, em comparação às alternativas tradicionais.  É referido que apenas são considerados estes 65% na redução das emissões porque é preciso continuar a ter em conta as emissões causadas na conversão dos materiais reciclados em combustível. E foi ainda referido que, caso estes combustíveis renováveis fossem introduzidos a larga escala, eles poupariam sozinhos 2,8 gigatoneladas de CO2 até 2050.

 

Mas existem alguns entraves. Este Diesel renovável tem menor densidade e maior inflamabilidade que o gasóleo que encontramos nos postos, sendo integrado no grupo de combustíveis de parafina (paraffinic fuels). Isso obriga a uma homologação específica das viaturas para estas características, para garantir a compatibilidade dos componentes de forma a lidar com maiores pressões durante a combustão e outros factores.  Caso se venha a confirmar a viabilidade da produção em larga escala desta alternativa, e a compatibilidade dos automóveis para com ele, é estimado que o preço deste Diesel renovável seja ligeiramente superior ao dos combustíveis atualmente utilizados.

 

 

Partilhar