BMW X7 leva SAV para novos patamares de luxo

Texto: Nuno Fatela
Data: 17 Outubro, 2018

Transportar a exclusividade e requinte para um nível nunca antes visto nos SAV é o objetivo do BMW X7, o maior modelo “X” de sempre. A sua entrada em produção está marcada para o primeiro trimestre de 2019

As marcas continuam a elevar a sua aposta nos SUV, revelando topos de gama cada vez mais requintados, luxuosos e portentosos. Como acontece agora com a BMW, que revela o seu SAV (Sports Activity Vehicle) de maiores dimensões, o BMW X7… com sete lugares. Este é mesmo um grande “X”, que leva a grelha mais volumosa de sempre num automóvel da casa bávara e combina um visual exterior que expressa a sua exclusividade com um habitáculo onde o luxo volta a ser a palavra mais indicada para definir o ambiente.

O BMW X7 estará disponível com quatro motores nos Estados Unidos, dois gasolina e dois diesel, enquanto para a Europa a oferta é limitada a três propulsores. Com sistemas como a suspensão pneumática e tração integral xDrive a facilitarem as idas para o campo, as personalidades mais aventureiras ainda vão poder contar com as soluções integradas no pack off-road. A entrada em produção do novo SAV está agendada para março de 2019, na fábrica americana da BMW, em Spartanburg.

 

À grande e à bávara

Sem dúvida que, partilhando traços estilísticos, a BMW quer marcar diferenças entre o X5 e o novo X7. Algo que se torna logo visível pela postura mais marcante do novo X topo de gama, que tem mais 229mm de comprimento (5151mm) e uma altura superior em 60mm (1805mm). A largura é bastante próxima, com os 2000mm do BMW X7 a significarem menos 4mm que o irmão, enquanto na distância entre eixos temos novamente o modelo agora revelado a dominar. Afinal, os seus generosos 3105mm significam mais 130mm que o X5. No que se refere à capacidade da bagageira, os 326l disponíveis quando os sete lugares estão ocupados crescem para 740L na configuração para cinco passageiros e ainda se podem elevar aos 2120l quando as duas filas de bancos atrás do condutor estão rebatidas.

No exterior existe um local que capta olhares imediatamente. Trata-se da grelha, a maior alguma vez colocada num modelo do fabricante de Munique. E temos também este local a ajudar à eficiência aerodinâmica, já que estão integrados flaps ativos que vão alterando a sua posição. A ladear este icónico símbolo da BMW temos óticas muito mais afiladas que no X5, e onde se pode trocar os LEDS pela opcional iluminação laser, com nova tecnologia que sobe a visibilidade para o dobro, 600 metros.

A lateral do BMW X7 é caracterizada por três elementos, que são a grande linha de teto, as generosas superfícies em vidro e a assinalável distância ao solo, que pode crescer até 80mm. Destaque ainda para as jantes. Afinal, se na Turbo 444 podia ler a Audi dizer que o Q8 se distinguia dos rivais por contar com jantes de 22”, agora a BMW responde ao desafio e permite escolher jantes entre 20” e 22” para o seu novo topo de gama. Para a traseira deste SAV, a marca refere a presença de elementos em alumínio que fazem sobressair o requinte e elegância deste modelo.

Um interior de luxo

A organização estética dos elementos do X7 é similar às linhas que encontramos no X5. O que não tem nada de mal, já que este outro modelo da marca já ostentava um visual bem apelativo. Mas agora temos no mais opulento SAV de Munique características que mostram bem o seu requinte. Por exemplo, ele surge de origem com pele Vernasca, e o seu interior pode receber ainda elementos como climatização a cinco zonas, controlos que, tal como parte do tablier, podem ter revestimentos em vidro, sistema profissional de entretenimento nos bancos traseiros e ainda o sistema da Bowers & Wilkins com som 3D fornecido por 20 saídas cuja potência total ascende a 1500 watt. Mas estes luxos todos não esgotam a lista de opcionais, onde ainda encontra itens como o Ambient Air Pack com 8 fragrâncias. E, caso deseje um visual ainda mais exclusivo, vai poder escolher os níveis de equipamento Design Pure Excellence ou M Sport.

 

O comandante deste porta-aviões vai encontrar na sua frente uma grande superfície digital, composta por dois ecrãs de 12,3”, onde lhe são apresentadas todas as informações. Trata-se do Live Cockpit  Professional, com o Operating System 7.0. Será através deste local que poderá aceder ao novo assistente pessoal da marca bávara, o “Hey BMW”. E junta-se ainda na apresentação de informações ao condutor a presença da terceira geração do head-up display da marca.

Falando de tecnologias, não podíamos deixar de referir as assistências de condução. Afinal, a todos os sistemas que estão já contemplados na oferta deste fabricante germânico (e a lista é bem extensa) ainda podemos juntar destaques como o Priority Warning e o aviso de entrada em sentido contrário. Tendo em conta o requinte e exclusividade do BMW X7, quase se pode concluir que o chauffeur agradece bem estas ajudas…

Potência para estrada… e para fora do asfalto

A gama do BMW X7 contempla quatro motores. Infelizmente, o mais potente da gama, o V8 gasolina de 462cv, não está previsto para o mercado europeu. Resta-nos esperar pelos seis cilindros em linha, onde está o 40i (de 340cv) na companhia dos Diesel 30d e M50d (com 265cv e 400cv, respetivamente). Todos eles surgem de origem com a caixa automática Steptronic de oito velocidades, que envia a potência para o sistema xDrive.  Existe um diferencial MSport no eixo traseiro, com bloqueio eletrónico, que surge de origem no M50d e pode ser incluído nos motores a gasolina.

 

Este SAV de grande porte conta com uma suspensão pneumática, que permite colocar a distância ao solo num máximo de 80mm para o ataque off-road. Mas que também pensa no conforto, permitindo baixar a altura da mala em 40mm para facilitar a colocação de bagagem. Existem ainda sistemas do chassis que pretendem reforçar a suavidade de rolamento e a performance, como a direção ativa e o Executive Drive Pro com barra estabilizadora ativa. Mas, se quiser ir com o seu BMW X7 para fora de estrada, então é melhor incluir o pack off-road (indisponível no M50d). Isto permite contar com quatro modos de condução opcionais, escolhidos num botão específico, que são o xSand, xGravel, xRocks e xSnow.

Partilhar