Publicidade

Mais desportivo. BMW apresenta novo Série 1 já sem caixa manual

Texto: Francisco Cruz
Data: 5 de Junho, 2024

Numa altura em que celebra os 20 anos de presença no segmento dos compactos, a BMW dá a conhecer a quarta geração do seu modelo de entrada, Série 1. E que, mais do que alterações em termos estéticos, marca a despedida das transmissões manuais, mas não do Diesel. Chega em outubro.

Produzido na fábrica da BMW em Leipzig, aquele que é também o modelo mais vendido na oferta  da marca de Munique anuncia-se, a partir de agora, não apenas com design renovado, a garantir uma imagem exterior mais dinâmica e agressiva, como também com um reforço da tecnologia e digitalização, o qual traz para o modelo de entrada o novo sistema operativo BMW iDrive 9, além de importantes atualizações na gama de motores, transmissões e chassis. Estas últimas, com o propósito, segundo o fabricante, de proporcionar um feeling mais desportivo. 

BMW 120
BMW 120

No entanto e começando pelo design que marca um conjunto ligeiramente maior que o antecessor (são mais 42 mm no comprimento, perfazendo um total de 4,36 m, enquanto a largura é de 1,80 m, a altura cresce 25 mm até aos 1,45 m e a distância entre eixos está nos 2,67 m), destaque para uma secção frontal mais vertical e baixa, com nova grelha frontal e faróis LED com novos elementos verticais, tudo isto a antecipar um capot longo que contribui para um perfil em cunha, onde não faltam deflectores laterais e janelas que se estreitam em direcção à traseira. Que, por sua vez, além de um prolongado spoiler, conta ainda com um generoso difusor preto e farolins de novo design.

LEIA TAMBÉM
BMW Série 5 Touring. Agora também elétrica

Em termos de pinturas exterirores, uma palete com duas cores sólidas e sete metálicas, mais quatro tonalidades BMW Individual, sendo que este novo Série 1 é também o primeiro a poder envergar uma cor contrastante no tejadilho. Que, quando em preto e em conjunto com os restantes elementos na mesma cor, acentua a postura mais desportiva num modelo que pode também receber um, ainda mais radical, embora opcional, pacote M Sport.

O adeus ao couro natural

Passando ao habitáculo, destaque, desde logo e por questões de sustentabilidade, para o fim do couro como revestimento de série, passando o poliéster reciclado a revestir os novos bancos dianteiros, mais confortáveis, mas que também podem ser substituídos por uns opcionais bancos M. Sendo que, para os mais exigentes, existe um ambiente em Veganza (revestimento com propriedades semelhantes ao couro) e Alcantara, que é parte do pacote M Sport, de série apenas no topo de gama M135 xDrive.

BMW M135 xDrive
BMW M135 xDrive

Ainda no interior, um volante desportivo e uma manche da caixa de velocidades redesenhada, menos botões físicos por troca com a tecnologia digital, além do BMW Curved Display totalmente digital e que compreende um painel de instrumentos de 10,25” e um display central de 10,7”. Este último, a albergar o novo sistema de infotainment BMW iDrive 9 com acesso rápido às diferentes funções e controlo por voz, além Apple CarPlay/Android Auto e atualizações OTA através do BMW ConnectedDrive. Que também permite a utilização de dados e aplicações específicas, consoante o país.

Igualmente novo é o sistema de ar condicionado de regulação digital, que passa a fazer parte de um equipamento de série que também inclui alarme, retrovisores rebatíveis eletricamente e o BMW Live Cockpit Plus, com BMW Maps e navegação baseada na Cloud. Com o Série 1 a poder receber, ainda, pacotes de equipamento opcionais, como o Innovation, com o BMW Live Cockpit Professional, Head-Up Display, Realidade Aumentada no display central e Parking Assistant Plus, ou o Premium, com opção de telefone com carregamento sem fio, acesso conforto, projeção de logotipo nos retrovisores externos, retrovisor interno com escurecimento automático e faróis LED adaptativos.

Em termos de segurança, a disponibilização dos mais recentes sistemas automatizados de direcção e estacionamento, dos quais fazem parte, entre outros, o Assistente de Condução com aviso de colisão frontal, aviso de saída de faixa, aviso de saída de faixa e reconhecimento de sinais de trânsito, bem como o assistente de estacionamento com assistente de marcha-atrás. 

Na bagageira, um espaço de arrumação a anunciar, à partida, uma capacidade de 380 litros, mas que também pode chegar aos 1.200 litros, mediante o rebatimento das costas dos bancos traseiros. Mas, atenção, até por serem as motorizações mais procuradas: no caso do 120 e 120d, com uma ligeira diminuição estes valores, para 300 e 1.135 litros.

Motores renovados, com Diesel

Passando aos aspectos técnicos e de motorizações, destaque para a introdução de uma nova geração de motores, a começar no três cilindros 120 a gasolina com 170 cv, 7,8s nos 0-100km/h e consumos de 6,0 l/100 km, acompanhado do “irmão quase gémeo”, mas com quatro cilindros, 120d a gasóleo, a anunciar 163 cv, 7,9s 0-100 km/h e 4,8 l/100 km de consumo combinado. Valores conseguidos também graças à conjugação com a tecnologia híbrida de 48V e que lhe garantem uma melhoria em termos de eficiência e entrega de potência.

Já sem esta tecnologia, o conhecido 118d de 150 cv, a prometer acelerações 0-100 km/h em 8,3s, assim como um consumo combinado de 5,2 l/100 km e emissões WLTP de 136 g/km.

Infelizmente, já não disponível com qualquer uma destas motorizações, surge a caixa manual de seis velocidades, tendo a BMW optado por passar a propor todos estes propulsores, apenas e só, com caixa automática Steptronic de dupla embraiagem e 7 velocidades.

BMW M135 xDrive
BMW M135 xDrive

Finalmente e como motorização topo de gama, um quatro cilindros a gasolina com 300 cv exclusivo do M135 xDrive e que anuncia uma aceleração 0-100 km/h, além de um consumo combinado de 8,1 l/100 km e emissões de CO2 de 184 g/km.

Referência, ainda, para um aumento da rigidez da estrutura da carroçaria e da ligação ao chassi, como forma de garantir uma maior agilidade, precisão na direcção e dinâmica em curva, fruto, também de um avanço de 20% das rodas da frente, limitação do deslizamento e jantes em liga leve, com discos de travão integrados, de 17”. Com a opção pelo pacote M Sport a garantir chassi M adaptativo (- 8 mm na distância ao solo), direcção desportiva e as mesmas jantes de 18” que são de série no M135 xDrive.

Ainda sem preços

A terminar, referir apenas que o novo BMW Série 1 deverá chegar aos mercados da Europa, Portugal incluído, já depois do verão, durante o mês de outubro, não existindo, também por isso e ainda, preços para as diferentes motorizações e versões.

BMW M135 xDrive
BMW M135 xDrive