BMW renova largamente o Série 7

Texto: Nuno Fatela
Data: 16 Janeiro, 2019

A sexta geração da berlina premium germânica acaba de receber um extenso restyling, com o BMW Série 7 renovado a evoluir no design, mecânica e tecnologias

Lançado com bastante furor em 2015, altura em que se apresentou como um dos automóveis mais avançados do mercado, o Série 7 acaba de ser atualizado para poder continuar a gabar-se de ser uma referência na combinação entre tecnologia, conforto e requinte. Como tal, ele evolui em todas as áreas, com a marca a não se limitar a introduzir umas pequenas alterações minimalistas na estética ou alguns novos softwares. Não, o BMW série 7 renovado vai mais além, e foi profundamente revisto neste novo ano.

Forma e função

Com mais 22mm de comprimento tanto na versão curta, agora com 5,12 metros, como na de distância longa entre eixos, que se estica agora até aos 5,26 metros, a altura e largura do BMW Série 7 mantêm-se inalteradas. Mas ao ver o automóvel de frente não ficará com essa impressão, algo que resulta do aumento da altura na dianteira em 50mm e da introdução de uma grelha 40% maior, similar à que se encontra no SUV X7. Além disso, o carácter frontal foi profundamente modificado, algo para que contribuem as óticas mais esguias (onde a iluminação LaserLight que alcança os 560 metros continua a ser alternativa aos Adaptive LED de série) e o novo capot. Além disso, o para-choques dianteiro foi igualmente reformulado e acolhe modificações nos Air Breathers laterais, que servem para canalizar o ar através dos arcos das rodas.


Veja como funciona a injeção de água no motor que a BMW colocou no M4 GTS


Nas laterais do BMW Série 7 renovado continua a existir o vidro laminado nas janelas laterais, com uma espessura que agora chega aos 5,1mm para maior conforto acústico. Aliás, para reduzir os ruídos a bordo existe ainda novo material isolante nas cavas das rodas traseiras, pilares centrais e suportes dos cintos de segurança. A traseira também recebe novo para-choques, que integra saídas de escape mais largas. Mas a maior novidade na retaguarda vai para os grupos óticos. Tal como na dianteira, eles estão mais finos, e surgem agora interligados por uma faixa LED de 6mm a toda a largura do BMW Série 7 renovado.

Foram ainda introduzidas novas cores e opções de desenho para as jantes deste “porta-aviões”. E continua a ser possível tornar ainda mais exclusivo o visual do modelo, recorrendo aos packs M sport, que confere um estilo mais desportivo, ou Design Pure Excellence, mais clássico e estatutário. Neste último, os acabamentos acetinados para o alumínio dão lugar a outros em cromado brilhante.


Veja o BMW Série 8 que a marca decorou com meteoritos


No interior também existem alterações, desde logo a começar nos materiais utilizados, como a madeira e o vidro para as decorações, tecidos mais fofos e a pele Nappa para os bancos. A isto junta-se um novo desenho para o volante multifunções, com reestruturação dos botões para aceder às assistências de condução, e um novo compartimento para a carga wireless. Mantendo-se a total digitalização das informações, com ecrãs de 12,3” para a instrumentação e 10,25” para o infotainment, neste último touchscreen pode-se agora aceder ao novo Operating System 7.0, com programas como o Microsoft Office 365 for Business e o BMW Intelligent Personal Assist com comandos vocais. Além disso, referência para a possibilidade de incorporar dois ecrãs nas costas dos bancos dianteiros, para facilitar o acesso dos passageiros de trás aos conteúdos do infotainment.

Falando de tecnologias, recordamos desde logo que a famosa chave do Série 7, usada para o estacionamento autónomo da viatura, continua a ser uma realidade. Além disso, nas assistências ao condutor o BMW Série 7 renovado continua muito bem apetrechado. Desde logo com o apoio conferido pelo Cruise Control adaptativo com manutenção de faixa e apoio em engarrafamento, visão a 360º e muitos outros atributos com que este modelo surpreendeu em 2015.

 

Híbrido mais potente

A gama contempla três níveis de potência para o motor diesel de 3.0l. Este bloco de seis cilindros em linha surge nas versões 730d (265cv, versões de duas rodas motrizes ou tração integral XDrive), 740d XDrive (320cv) e 750d XDrive (400cv), o que significa precisamente que os níveis de potência permanecem inalterados. Já para a oferta a gasolina do BMW Série 7 renovado existem tendências contrárias. Enquanto o motor de oito cilindros do 750i ganha 80cv, atingindo os 530cv, a versão 760i vê o motor V12 perder 15cv, debitando agora 585cv de potência.

Mas a maior novidade vai para a versão híbrida, que deixa de ser conhecida como 740e e passa a designar-se 745e. Isso reflete o aumento das capacidades deste modelo que combina um bloco a gasolina de seis cilindros com um motor elétrico de 113cv. A potência combinada alcança agora os 394cv (+68cv) e, como a bateria a passar dos 9,8kWh para os 12kWh, a autonomia elétrica é melhorada. Consoante a opção entre as versões de distância curta e longa, e duas ou quatro rodas motrizes, ela vai variar entre os 50km e os 58km. Isso ajuda a colocar os consumos médios nos 2,2l/100km, valor sem rival na gama da berlina.

Referência ainda para as opções que continuam a estar disponíveis para melhorar o comportamento dinâmico do BMW série 7 renovado. Entre elas estão as barras estabilizadoras ativas e o eixo traseiro direcional, que podem ser configurados em todas as versões excepto no BMW 745e. Apresentado hoje na China, o Série 7 chegará ao mercado com estes novos atributos durante a Primavera de 2019.