Mobieco

Já testámos o Audi e-Tron . Disponível desde 84.000€

Texto: Nuno Fatela
Data: 3 Abril, 2019

Já está em Portugal o primeiro SUV elétrico da Audi, disponível com dois níveis de equipamento. Os preços do Audi e-Tron começam nos 84.251€

“É mais que um nome de um modelo, é um conceito”. Esta é uma das expressões impactantes usadas pela Audi na apresentação nacional do e-Tron, modelo que dá início a uma forte ofensiva da marca nos automóveis eletrificados. Apresentando-se na versão e-Tron 55 Quattro (uma referência à tração integral permanente, adaptada para veículos elétricos e obtida com recurso a um motor elétrico em cada eixo), o modelo germânico debita nesta configuração 300cv e 561Nm, embora com um ‘boost’ temporário que lhe permite atingir os 360cv e os 664Nm. Um poder elétrico que se sente imediatamente ao pressionar com mais força o pedal do lado direito, mesmo com os 2500 quilos de peso…

Usando uma versão mais curta da plataforma do Q7, o novo SUV elétrico apresenta um comprimento de 4,90 metros e uma habitabilidade generosa (a que junta 600 litros de bagageira na traseira e mais 60l no capot). Para tal, o segredo reside na colocação dos 95 kWh de baterias sob o piso, num fundo plano “com parafusos recuados e concavidade para criar vórtices estáveis”. Este é um dos segredos para a excelente performance aerodinâmica, embora nesse campo o protagonista mais visível sejam os retrovisores digitais.

 

Retrovisores aerodinâmicos em câmaras

Trocando os espelhos por pequenas câmaras colocadas no exterior, as imagens são apresentadas em ecrãs OLED nas portas, com 7” de dimensão e definição de 1280 x 800px. Este foi um dos pontos mais interessantes no teste ao Audi e-Tron. Ainda recentemente também testámos, por exemplo, um retrovisor central digital nos comerciais da PSA, o Berlingo e o Partner, mas nesse caso, pela colocação do ecrã precisamente no mesmo local onde estava o espelho, praticamente não se sentem diferenças.

 

Aqui é diferente, pois é necessário criar o hábito de olhar para uma posição mais abaixo, onde são apresentadas as imagens. Estranha-se no início? Seguramente que sim. Mas facilmente se ganha essa prática, quase como se estivéssemos novamente a estrear-nos nas aulas de condução e a ganhar o hábito de olhar para os espelhos.

 

É verdade que do lado onde bate o sol os pequenos reflexos causam uma ligeira dificuldade a ver as imagens, mas nada de preocupante. Até porque, para ajudar nas manobras, as habituais guias de segurança coloridas nos espelhos que encontramos a alertar da presença de outros carros estão aqui presentes a verde, amarelo e vermelho, para sinalizar a possibilidade de fazer a mudança de faixa. Caso esteja a luminosidade ideal, como ontem lhe mostrámos num pequeno vídeo no Instagram, a eficácia do sistema é total. Ou seja, os retrovisores digitais não apenas se tornam muito simples de usar assim que se apanha o hábito como acabam por conferir uma imagem ainda mais tecnológica ao e-tron.

E tecnologia é algo que se encontra em doses industriais no Audi e-Tron. Guiado até à barragem de Castelo do Bode, no centro do país, onde fomos descobrir como é produzida a energia limpa (hidroelétrica) usada para alimentar o modelo, fomos sempre apoiados pelas funcionalidades do modelo elétrico germânico, que se apresentava com cinco ecrãs a bordo: dois dos retrovisores, o Virtual Cockpit, o ecrã superior do MMI e um logo abaixo para climatização e apoio do infotainment. Por exemplo, é neste ecrã que escrevemos o nosso destino de viagem rumo ao Rio Zêzere.

 

No ecrã de 10,1” do infotainment temos outro dos destaques, pois trata-se de um touchscreen háptico. Para os menos familiarizados com a tecnologia, tratam-se de ecrãs que tão feedback tátil quando acionamos as diversas funcionalidades. Tal como nos retrovisores, inicialmente pode-se estranhar porque precisamos de fazer mais força para pressionar no ecrã, mas depois de se perceber como opera, até se torna mais fácil de perceber que os comandos escolhidos estão a ser executados, pois sente-se o feedback.

 

Ao volante do novo Audi e-Tron

Rumo à imensa barreira de cimento que 115 metros de altura que retém a água em Castelo de Bode para gerar energia, começámos a viagem na Azambuja, onde ficam as instalações da SIVA, com a carga toda. O que significa 412 km de autonomia no Audi e-Tron. No entanto, como acontece com todos os veículos elétricos, a entrada em autoestrada significou um “salto” para os 370km. Seguindo com toda a tranquilidade e sempre a rondar o limite máximo de velocidade, e no final da viagem de 90km a autonomia perdida situava-se apenas em 130km. Ou seja, os 240km com que chegámos deixava-nos perfeitamente tranquilos para a viagem de regresso.

 

Na nossa opinião, existe um ponto onde a Audi se diferencia sem que exista vantagem. Tem a  ver com a apresentação das informações no Virtual Cockpit relativamente à recuperação de energia, no mostrador que substitui o conta-rotações. Ao contrário de muitos modelos eletrificados, em que o ponteiro passa imediatamente para a zona “Charge” quando desaceleramos, no caso do e-Tron essa funcionalidade fica reservada ao aumento da força de regeneração quando pressionamos as patilhas no volante. Não é que o funcionamento seja diferente, apenas não se consegue a mesma percepção de quando uma condução ecológica colhe os seus frutos. Mas essa informação pode ser encontrada ao navegar nas informações centrais do Virtual Cockpit, uma alternativa sempre viável.

 

Na autoestrada destacaram-se duas das principais características do e-Tron. Muito bem construído, merece elogios o imenso conforto, enfatizado pelas várias regulações do banco e volante disponíveis para que nos possamos acomodar perfeitamente nos bancos. E, como seria de esperar num elétrico premium, o imenso silêncio a bordo. Se tivéssemos alma de cantores, até dava para usar o carro como estúdio e gravar umas músicas durante a viagem… Mas preferimos não correr o risco de partir os vidros do e-tron com a falta de talento para a música. A ausência de ruído é tal que depois de sairemos da via rápida, ao abrir as janelas para desfrutar do bom tempo, se escutava com toda a nitidez uma pequena pedra que se alojou nos rasgos dos pneus!

 

Apesar de restarem poucos quilómetros após a saída da autoestrada… é aqui que a diversão começa. É verdade que as 2,5 toneladas do Audi e-Tron não se podem esconder, mas isso não lhe limita a genica quando aceleramos. Com o boost, os 360cv colam-nos imediatamente as costas ao banco, e a velocidade começa a subir de forma rápida e contínua. Duas curvas mais fechadas e pode-se perceber que, mesmo com o peso a querer “empurrar o carro para a frente” quando pressionamos a travão, assim que se vira a direção o carro mostra precisão nas mudanças de direção. Algo para que ajuda a presença da direção assistida progressiva.

Com a suspensão pneumática a garantir que nenhuma irregularidade torna desconfortável esta abordagem mais dinâmica, fica comprovada mais uma coisa. A mobilidade elétrica não é chata e amorfa! É verdade que não ouvimos um V6 ou um V8 sob o capot, e que a única coisa que se escuta é a borracha das rodas a queixar-se quando é castigada com as viragens. Mas quando estamos a “engolir curvas” umas atrás das outras de forma entusiasmada e o motor (ou motores elétricos, neste caso) respondem de forma pronta, sentindo a velocidade a subir de forma contínua, não há como evitar que um sorriso se comece a formar na cara… Seja elétrico ou combustão!

 

Foi assim que rapidamente (de forma literal!) encontramos a imensa barragem onde estão, escondidos sob a armadura de betão, os três geradores de eletricidade de Castelo do Bode. O que significou o final desta viagem que pretendeu demonstrar como o pensamento ecológico está presente a todo o momento no e-Tron. Não apenas na motorização elétrica como na produção numa fábrica neutra ao nível do carbono. Também, em países como Portugal onde as energias renováveis já têm grande peso, no orgulho ao ter energia “limpa” para o SUV germânico.

 

A oferta e os preços do Audi e-Tron

O Audi e-Tron 55 Quattro chega a Portugal em duas versões distintas. A ‘Basic’ custa 84.251€ e apresenta logo nos equipamentos soluções como o infotainment MMI com navegação Plus e Touch Response, a direção assistida progressiva, suspensão pneumática adaptativa e as jantes Aero de 19”. Por um preço de 85.781€  está disponível o Audi e-Tron ‘Advance’ que adiciona à oferta as jantes de 20” e elementos decorativos a cinzento Manhattan e Prata Selenite.

Gostou dos retrovisores digitais? Eles podem ser encomendados para o e-Tron, sendo um opcional que tem um preço a rondar os 1800€. Entre as listas de equipamento do e-Tron surge ainda outro destaque. Porque na oferta-base surgem os “faróis LED com preparação para mais funções de iluminação”. Um exemplo da forma como o SUV elétrico vem preparado para no futuro oferecer soluções “on demand”. Por exemplo, se quiser apenas durante os meses de inverno, com menos horas de luz, potenciar a sua visibilidade na estrada, poderá “equipar” temporariamente o e-Tron com os Matrix LED. Estes e outros serviços estarão futuramente disponíveis…

 

A Audi não quer que ninguém duvide também da fiabilidade do seu elétrico. Como tal, o e-Tron surge com extensão de garantia 2+2 ou 80.000km, enquanto a bateria está assegurada durante 8 anos ou 160.000km. Além disso, os 84.251€ de preço do Audi e-Tron também englobam o valor do contrato de manutenção por 4 anos/80.000km.

 

 

Ver esta publicação no Instagram

 

divertida a forma de abrir o compartimento da tomada do #audietron …

Uma publicação partilhada por Revista Turbo (@turborevista) a

Num pequeno balanço final a este primeiro contacto do site da Turbo com o Audi e-Tron, o balanço é francamente positivo. É verdade que não atinge os 417km de autonomia máxima anunciados, mas mesmo em autoestrada a velocidades de 120 km/h ficam garantidos pelo menos 300km entre carregamentos. Que, aliás, num carregador a 150kW apenas demoram 30 minutos. Se for a 11kW são 8,5h, enquanto com uma carga semi-rápida a 22kW são 4,5h para abastecer na totalidade.

 

É verdade que ainda não podemos ir de uma ponta à outra do país sem parar. Mas também com quantos carros de combustão que tenham 300cv se consegue isso? O problema dos 30 minutos de carga acaba por ser outro. A vida é tão confortável, tranquila e silenciosa a bordo do tecnológico Audi e-tron que o desejo é poder conduzi-lo pela estrada fora por muitos e muitos quilómetros. E de vez em quando embarcar na diversão de pressionar o acelerador e sentir as costas instantaneamente ao banco com o boost dos 360cv e 664Nm. Uma entrada em grande da Audi nesta sua nova ofensiva na mobilidade elétrica!

 

Veja também:

Audi e-Tron GT: Protótipo do Audi Sports elétrico
Versão Coupé do e-Tron chega ainda este ano
Audi Q4 e-Tron apresenta-se antes de chegar ao mercado em 2020
Gama híbrida reforçada da Audi estreia em Genebra 
Bale contraria tendência Diesel no Real Madrid
Audi tem motor de quatro cilindros com mais de 610 cv