Aston Martin Lagonda Vision Concept mostra eletrizantes planos

Texto: Nuno Fatela
Data: 6 Março, 2018

Recentemente o CEO Andy Palmer confirmou à Turbo que a marca de Gaydon prepara o lançamento de duas berlinas. O que não tinha revelado é que elas seriam totalmente elétricas, recorrendo a tecnologias e contando com uma filosofia de design que é antevista agora pelo Aston Martin Lagonda Vision Concept.

A Aston Martin continua a caminhar no seu projeto de recuperação, estando a implementar uma estratégia que contempla a expansão para novos segmentos, onde se destacam os SUVS e também as berlinas. Para dar a conhecer os seus planos nesta área do mercado, surge agora no Salão de Genebra o Aston Martin Lagonda Vision Concept. Ele pretende avaliar o impacto que causa a filosofia de design escolhida pelo fabricante britânico, mas serviu também para dar a conhecer uma novidade sobre este projeto. Isto porque foi anunciado que o objetivo será, quando a Aston Lagonda for lançada em 2021, torná-la na primeira marca de luxo exclusivamente dedicada aos veículos elétricos, tirando ainda partido das potencialidades da condução autónoma.

Para mostrar como esta filosofia de estilo do Aston Martin Lagonda Vision Concept poderá não surgir exclusivamente em berlinas, no Salão de Genebra são ainda apresentadas duas itinerações com escala inferior, que mostram como o design poderá ser aplicado a coupés ou SUVS. O que se destaca neste protótipo principal é desde logo a sua imagem singular, com a marca a explicar que procurou tirar partido das motorizações elétricas para uma maximização dos espaços através de um design radical. Para isso foi essencial a eliminação dos elementos mecânicos tradicionais dos motores de combustão, não sendo de espantar que a marca afirme que este Aston Martin Lagonda Vision Concept “não tem capot porque não precisa”. Esta forma de assinalar o cariz tecnológico é também transposta para o interior, onde a eliminação do túnel central é um dos traços que se destaca.

Mas também as vantagens proporcionadas pela condução autónoma ficam visíveis, já que é possível colocar os bancos (“para quatro ocupantes adultos, cada um com mais de dois metros”) em direções opostas, facilitando a comunicação. Para o habitáculo do Aston Martin Lagonda Vision Concept a marca contou com o apoio de David Snowdon, famoso artesão britânico reconhecido pela forma única como combina diferentes materiais. Esta foi a forma de alcançar uma simbiótica relação entre revestimentos mais tradicionais, como a caxemira e a seda, com outros que enfatizam a modernidade, como a fibra de carbono e e a cerâmica. Uma última referência para o acesso a estes amplos espaços, feito através de uma bastante generosa abertura que foi alcançada através do movimento não apenas das portas mas também do teto.

A marca de Gaydon não revelou ao detalhe se optou por um ou mais motores elétricos para o Aston Martin Lagonda Vision Concept, mas refere que o pack de baterias colocado sob o piso do automóvel permite cumprir 640km sem paragens. Ela destaca ainda o sistema inteligente de gestão da energia, que permite a distribuição inteligente do binário de forma independente entre as quatro rodas, com cada uma delas a poder receber desde 0 até 100% da força enviada pela motorização. De referir por fim que este modelo vem equipado com o Nível 4 de condução autónoma, razão para que continue contar com o volante, pois continua a ser preciso que o condutor assuma o controlo do carro em determinados momentos.

Partilhar