As cinco qualidades do novo Renault Clio (com vídeo)

Texto: Redação
Data: 9 Outubro, 2019
Líder de mercado em Portugal, a nova geração do Renault Clio reforça essa posição com novos conteúdos e com uma qualidade que constitui uma das referências do seu segmento. Para além da qualidade, destacamos o comportamento dinâmico, a segurança, o design e a conetividade.

Voltamos ao Renault Clio para apresentar alguns dos seus pontos mais fortes, desde a estreia de novos motores até ao comportamento dinâmico, passando pelo design, a segurança e acima de tudo a qualidade.  

E se por fora, as alterações da quinta geração do Renault Clio são poucas, por dentro, as diferenças são enormes com destaque para a mudança de paradigma ao nível da perceção da qualidade, ao mesmo tempo que estreia e anuncia tecnologias inovadoras em todos os domínios. 

O facto de ser o segundo automóvel mais vendido na Europa, com mais de 15 milhões de unidades, atrás do VW Golf, coloca o novo Clio sobre a responsabilidade de continuar a ser o melhor do seu segmento, uma tarefa difícil quando a concorrência é forte.

Não admira que o salto qualitativo seja enorme e isso sente-se nos pormenores mais pequenos desde o exterior ao interior. 

No interior encontramos uma verdadeira revolução com destaque para o enorme progresso na qualidade percebida, maior sofisticação e uma enorme presença tecnológica. 

O conceito “Smart Cockpit” coloca o condutor no centro de toda a informação disponibilizada pela instrumentação totalmente digital e pelo ecrã central de 23,6  polegadas, agora com uma definição maior e com o novíssimo sistema multimédia ‘Easy Link’ e a aplicação ‘My Renault’. 

Este sistema representa um progresso enorme em relação à anterior geração com a vantagem da sua colocação facilitar imenso a leitura de toda a informação, ao mesmo tempo que serve para visualizar algumas funções de segurança.

É o caso da câmara de 360 graus que permite manobrar em segurança o Clio no estacionamento; ou da travagem autónoma que é uma forma de prevenir imensos acidentes dentro da cidade. 

A condução autónoma é outra novidade que resulta da combinação do ‘cruise control’ com radar que permite manter a velocidade e a distância para o carro da frente com o sistema de manutenção de faixa.

Anterior
Next

O reconhecimento dos sinais de trânsito, nomeadamente os que indicam os limites de velocidade, é uma ferramenta nova e igualmente útil, quando conduzimos de uma forma mais distraída, já que, associada ao GPS, reduz automaticamente a velocidade.  

Concebido sobre o princípio de “evolução e revolução”, a quinta geração do modelo francês é o primeiro carro europeu do seu segmento a propor um motor híbrido e, simultaneamente, uma renovação completa dos seus motores convencionais, como este 1.3 litros Turbo concebido e construído em parceria com a Mercedes para ser mais amigo do ambiente, graças a uma construção de baixo atrito. 

 

A capacidade de resposta deste motor, valoriza o comportamento de uma plataforma nova capaz de estabelecer um bom equilíbrio entre o conforto e a segurança ativa versus comportamento dinâmico. Isso vê-se na forma segura como curva.

PARTILHAR
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print