Mobieco

Publicidade

ABT e-Line anuncia produção de comerciais a hidrogénio

Texto: Carlos Moura
Data: 2 de Dezembro, 2022

A ABT e-Line vai produzir em série veículos comerciais a hidrogénio, respondendo, assim, ao elevado interesse suscitado pelos protótipos apresentados no IAA Transportation 2022 

Após a apresentação dos primeiros protótipos no IAA Transportation 2022 desenvolvidos em parceria com a Bosch, a ABT e-Line anunciou que vai produzir veículos comerciais com tecnologia de pilha de combustível, alimentada por hidrogénio.

Em comunicado, a empresa refere que os comerciais com motores combustão são responsáveis por níveis elevados de emissões. Apesar dos veículos elétricos a bateria não emitirem emissões locais, são a única alternativa, mas a autonomia tem limites e o carregamento demora muito tempo.

Nalgumas operações de distribuição expresso são frequentes rotas com mais de 800 quilómetros, que exigiria baterias com uma capacidade de 300 kWh para evitar qualquer paragem. Segundo a ABT e-Line, “a comparação com o setor dos ligeiros de passageiros demonstra que isto não é viável nos comerciais. Os automóveis elétricos raramente têm baterias com mais de 100 kWh, mesmo no segmento premium. Acreditamos que existe uma área sensível de aplicação da pilha de combustível a hidrogénio na logística de longo curso”.

Elevada recetividade

Especializada em motorizações alternativas, a ABT e-Line ganhou experiência na integração da tecnologia de combustível em dois grandes projetos nos últimos três anos. Na fase seguinte foram convertidas duas unidades Volkswagen e-Crafter, as quais foram estreadas no IAA Transportation 2022. A recetividade foi de tal forma elevada que a ABT e-Line decidiu avançar para a produção em série com os parceiros.

LEIA TAMBÉM
Bosch corta uso da platina nas células de hidrogénio

Na configuração do veículo de demonstração, a ABT e-Line ficou encarregue da integração do sistema de pilha de combustível, assim como do projeto de segurança, do processo de produção e da homologação.

Além disso, também foi integrado o depósito de hidrogénio de 700 bar. A ABT e-Line refere que os dois a sete depósitos de hidrogénio podem ser reabastecidos em poucos minutos.  

Aplicações de nicho

Atendendo à arquitetura do veículo e o espaço disponível para instalação, as conversões foram um desafio, mas o esforço valeu a pena. Ao implementar um novo conceito de linha motriz conseguiu-se aumentar a autonomia em várias centenas de quilómetros, sendo mesmo possível abastecer mais tarde do que nos modelos diesel equivalentes.

Apesar de reconhecer que o futuro da mobilidade vai ser dominada pela bateria de tracção devido à sua eficiência, a ABT e-Line considera que a pilha de combustível tem um enorme potencial para aplicações de nicho, especial no segmento dos comerciais.

A densidade energética típica do hidrogénio, superior à da atual tecnologia de baterias, constitui uma vantagem quando a autonomia é importante. Além disso, o abastecimento é bastante mais rápido do que o carregamento da bateria.