Volkswagen investe milhões nos elétricos

Texto: Nuno Fatela

Ao longo dos próximos cinco anos está previsto um gasto de 35 mil milhões de euros para a eletrificação, bem como para os veículos autónomos e novos esquemas de mobilidade, Além deste montante, a forte aposta da VW nos elétricos inclui ainda um montante de 72 mil milhões de euros para infraestruturas e staff, elevando os investimento para cima dos 100 mil milhões de euros.

Procurando recuperar a liderança do mercado mundial (perdida para a Aliança RNM) e consolidar-se como a principal força do mundo automóvel quando os veículos elétricos forem a principal escolha, o Grupo Volkswagen prepara-se para investir forte ao longo dos próximos anos no que designa como NEV (New Energy Vehicles). Para tal está previsto um gasto ao longo dos próximos cinco anos no valor de 35 mil milhões de euros em carros elétricos, viaturas autónomas e novos esquemas de mobilidade. Desta forma o consórcio germânico quer combater não apenas os seus rivais “tradicionais” na indústria automóvel (onde as maiores ameaças são atualmente a Aliança Renault-Nissan-Mitsubishi, a Toyota e a GM) como os seus novos adversários tecnológicos, onde se incluem empresas como a Tesla ou a Uber.

 

As intenções do Grupo VW são claras, e o CEO Matthias Mueller afirma que a companhia que lidera pretende “reinventar o carro. A indústria automóvel vai sofrer profundas mudanças nos próximos anos, o que oferece grandes oportunidades mas também nos vai exigir um esforço tremendo”. Demonstrativo desse tremendo esforço está o facto do gigante germânico prever ainda gastar mais 72 mil milhões de euros em infraestruturas e staff, dividindo esta verba entre propriedades, fábricas, equipamento e profissionais qualificados. Ou seja, ao todo o Grupo VW pretende investir mais de 100 mil milhões na transformação da mobilidade.

 

A aposta na China

Outra parte da estratégia da VW que foi revelada nos últimos dias passa pelo ataque ao mercado chinês. Nesta imensa nação vão ser gastos 10 mil milhões de euros em veículos elétricos até 2025, de forma a cumprir as normas de emissões progressivamente mais exigentes neste território. Esta verba será fulcral para a introdução dos designados NEV, com 15 modelos lançados nos próximos três anos e mais 25 até metade da próxima década. Mas este investimento destina-se ainda à produção no local, através da joint venture com a Anhui Jinghuai, que vai dar início ao fabrico de veículos elétricos já no primeiro semestre de 2018. Entre os primeiros modelos saídos destas linhas deve estar o e-Golf, mas futuramente a aposta irá para modelos com maior autonomia, alguns dos quais com valores entre os 400km e 600km percorridos entre carregamentos.

 

Fonte: Automotive News

 

Partilhar