E vão 19! Vitória da Porsche em Le Mans

Texto: Diogo Borges

Do inferno ao céu, o Porsche nº2 parecia arredado da vitória em Le Mans, mas a noite trouxe um longo pesadelo para a Toyota. Timo Bernhard, Brendon Hartley e Earl Bamber, aos comandos do 919 Hybrid, acabariam por agudizar a dor da construtora nipónica e garantiram mais uma vitória da Porsche em Le Mans.

A saga continua, com o 919 Hybrid a fazer o “hat-trick” na mais famosa prova de resistência do mundo, repetindo o primeiro lugar alcançado em 2015 e 2016. Os semblantes na garagem da Porsche davam a entender que estava toda a gente de acordo: mérito dos mecânicos à parte; foi um golpe de sorte que permitiu alargar o registo fantástico da marca em Le Mans. Andre Lotterer, Nick Tandy e Neel Jani entraram decididos a dar luta à Toyota. Não há dúvidas de que deram, mas foi a sua desistência que galvanizou a equipa do 919 Hybrid com o nº2. E se na garagem alemã havia sorrisos rasgados, na japonesa rasgadas foram as esperanças de finalmente conquistar a mítica prova de resistência.

Depois do volte-face do ano passado, onde o TS050 Hybrid cedeu o primeiro lugar ao 919 Hybrid a escassos cinco minutos do final da corrida, os fãs da Toyota viam o Porsche com muitas dificuldades em acompanhar o carro japonês no início da prova. O cenário ia melhorando a ponto de, ao início da noite, a corrida estar perdida para o Porsche nº 2 que teve de recolher à garagem com um grave problema no eixo dianteiro. Esteve parado mais de uma hora:  70 minutos de trabalho de equipa intenso antes do 919 Hybrid receber alta para amealhar pontos preciosos para o Campeonato Mundial de Resistência (World Endurance Championship). Quando o sol se escondeu no final de sábado, parecia difícil assistir a mais uma vitória da Porsche em Le Mans, dado o ritmo dos seus adversários, mas tratando-se de uma prova de resistência, todos sabiam que ainda faltavam escrever muitos capítulos.

A noite trouxe muitos problemas à construtora japonesa… À passagem das oito horas, o Toyota com o nº 8 perdeu as esperanças de vitória quando teve de substituir o motor e a bateria. Nas últimas horas da madrugada, desistiram mais dois Toyotas com uma diferença de meia hora. Andre Lotterer, Nick Tandy e Neel Jani, a bordo do 919 Hybrid, que com muito esforço se tinham mantido entre os dois Toyotas da frente, aproveitaram para roubar a liderança. Mas a história desta edição de Le Mans estava destinada a mudar mais uma vez: pouco depois das 11 da manhã, e a liderar por 13 voltas, o Porsche de Andre Lotterer teve problemas no motor e também ele disse adeus. A liderança acabou por sobrar para um LMP2: o Oreca 07 de Oliver Jarvis, Ho-Pin Tung e Thomas Laurent, pertencente à equipa Jackie Chan DC Racing.

A desistência do Porsche que liderava galvanizou a equipa do número 2. Nas horas finais da corrida, Brendon Hartley cerrou dentes e foi ultrapassando a concorrência que não teve andamento para um LMP1 já saudável. Timo Bernhard, Brendon Hartley e Earl Bamber juntavam-se assim à ilustre galeria dos campeões da Porsche em Le Mans. O Toyota TS050 foi o outro LMP1 a acabar a corrida, mas em 9ª da classificação geral e com muitas voltas de atraso.

No final, Hartley destacou o trabalho dos mecânicos da Porsche: “trabalharam muito para devolver o carro à pista e se tivessem demorado mais cinco minutos esta vitória possivelmente não teria acontecido”. Timo Berhard também referiu a equipa. Para o piloto alemão esta pode ser “a corrida mais cruel mas também a melhor”. “Ontem a coisa parecia muito má, mas estes ‘tipos’ foram tão rápidos a preparar o carro… É que fizeram tudo a um ritmo…”, repetiu com alguma incredulidade.

Nas outras categorias: o Oreca 07  da Jackie Chan DC Racing terminou em segundo lugar, ultrapassado apenas a 67 minutos do fim pelo 919 Hybrid e que conquistou assim a categoria LMP2. Nelsinho Piquet acabou em segundo nos LMP2 e em terceiro da geral noutro Oreca 07.

A subcategoria mais disputada foi a LMGTE-Pro. Os quatro primeiros chegaram cheios de vivacidade e sincronizados às últimas voltas da corrida, tendo a disputa dos dois primeiros durado até à última, quando o Aston Martin de Jonathan Adam, Daniel Serra e Darren Turner deixou para trás o Corvette de Jan Magnussen, Antonio Garcia e Jordan Taylor após uma ultrapassagem na reta da meta e o rebentamento de um pneu do C07. No Ford GT, o trio Pipo Derani, Harry Tinknell e Andy Priaulx também ultrapassou o Corvette e acabou em segundo.

Na LMGTE-Am, a vitória conquistada tranquilamente pelo Ferrari 488 dos pilotos Will Stevans, Robert Smith e Dries Vanthoot.

 

Partilhar