Travar com o motor: Bom ou Mau?

Texto: Nuno Fatela

Este vídeo mostra o que acontece ao travar com o motor, explicando as potenciais vantagens desta opção.

Praticamente todos os condutores que já guiaram por autoestradas que passam por montanhas encontraram uma placa com o conselho “Trave com o Motor”. No entanto, devido ao  medo de possíveis danos, o aumento do ruído a bordo  a escalada das rotações, alguns preferem não optar por esta técnica para reduzir a velocidade. Um vídeo agora publicado pelo canal de youtube “Engineering Explained” explica-nos, em inglês, o que acontece quando decidimos travar com o motor.

O base para esta “manobra” é simples, engatar uma mudança mais baixa e deixar que o trabalho do motor ajude a fazer com que a velocidade desça, sendo recorrente a sua utilização em vias mais inclinadas. Resumindo aquilo que surge em vídeo, quando temos uma mudança engrenada e tiramos o pé do acelerador é cortado o fornecimento de ar para o motor através das válvulas de admissão, o que cria um vácuo já que o próprio propulsor tenta obter esse ar. O resultado disto é que o próprio motor acaba por reduzir a velocidade das rodas motrizes, fazendo o denominado processo de travar com o motor.

Ao contrário do mito em que muitos acreditam, este vídeo explica que não existe um aumento do desgaste do motor, bem um aumento na despesa com combustível por possíveis desperdícios. Pelo contrário, travar com o motor pode até ajudar a poupar dinheiro, pois conserva o sistema de travagem, evitando despesas associadas à troca dos consumíveis deste componente.

Partilhar