“Sacrilégio” Ferrari chega em 2019 ou 2020

Texto: Nuno Fatela

No Salão de Detroit o Presidente da marca confirmou que está perto de chegar o SUV Ferrari, e o Cavallino Rampante também tem fortes ambições no campo da eletrificação.

Para muitos é um sacrilégio que a Lamborghini já cometeu, com o Urus, e que esperavam nunca ver replicado na Ferrari. Mas é verdade, o Cavallino Rampante vai mesmo lançar um SUV, que estará em comercialização entre 2019 e 2020, confirmando as indicações de que este modelo estava a ser falado “muito a sério”. Esta é uma questão polémica (como já foi anteriormente para outras marcas…), pois haverá quem diga que a entrada neste segmento vêm dissipar a essência do emblema fundado por Enzo Ferrari como um fabricante de desportivos puros. Os que não estão contra fazem fé na promessa do Presidente da marca, Sergio Marchionne, de que este será “o SUV mais rápido do mercado” e compreendem a necessidade de não deixar fugir esta oportunidade de negócio na faixa do mercado que mais cresce em todo o mundo.


Veja como o Ferrari 458 GT é o melhor despertador do mundo…


Também está confirmada a aposta na eletrificação, com o responsável máximo dos italianos a referir que “se alguém vai fabricar um superdesportivo elétrico, então a Ferrari será a primeira”. Tentando assim superar a concorrência do prometido Tesla Roadster, Marchionne refere que “não estou a tentar minimizar o que o Elon [Musk, CEO da Tesla] fez, mas acho que é algo ‘fazível’ por todos nós”. Embora não exista ainda prazo anunciado para a chegada desse modelo, ele poderá ter ainda outros rivais, como o prometido modelo 100% elétrico dos compatriotas da Lamborghini, além de projetos de marcas de menor dimensão como a Rimac (com o sucessor do Concept_One) e a Koenigsegg (com o Regera).

Para chegar aos elétricos, a Ferrari vai fazer uma progressiva eletrificação nos seus desportivos. Por isso, está planeada a breve trecho a produção em série de híbridos por parte da marca italiana. Ou seja, os herdeiros do exclusivo LaFerrari vão começar a estar disponíveis para um público mais abrangente. E, segundo Marchionne, destes modelos para os superdesportivos sem emissões poluentes vai um pequeno passo. “Ir de um híbrido para um elétrico é fácil”.


Saiba qual é o Ferrari mais caro do século XXI


A aposta nas novas motorizações e a entrada no segmento SUV devem ser as principais novidades a revelar, mais ao pormenor, em março, quando for apresentada a estratégia para os próximos cinco anos da Ferrari. Este poderá ser um dos últimos grandes momentos da liderança de Sergio Marchionne no Cavallino Rampante, já que se aproxima o momento da sua saída de Presidente (e também de CEO da Fiat-Chrysler). Estas apostas da Ferrari, especialmente o SUV, têm grande importância para a ambicionada expansão da oferta, esperando-se que a breve trecho a produção da marca transalpina supere as 10.000 unidades anuais.

 

Partilhar