Membros da Porsche e Bosch investigados na Alemanha

Não param de acontecer novos capítulos sobre o trabalho das autoridades relativo às fraudes de emissões perpetradas pelos fabricantes, e agora surgem informações sobre funcionários da Porsche e Bosch investigadas na Alemanha para avaliar o seu envolvimento no Dieselgate.

As autoridades alemãs iniciaram investigações preliminares para avaliar o envolvimento da Porsche e da Bosch no escândalo de emissões, estando a ser questionados funcionários das duas empresas. No caso da marca alemã que venceu novamente Le Mans, a ideia passa por avaliar o seu papel no desenvolvimento do software que conseguia reconhecer se os automóveis estavam a ser analisados através do ciclo de testes NEDC. Tendo em conta que existiram modelos da Porsche envolvidos no Dieselgate, este procedimento é em todo similar ao que já ocorreu, por exemplo, com a Audi, estando a ser averiguado se a marca participou ativamente na criação do denominado “defeat device”.

No caso da Bosch o centro das atenções é a unidade de controlo de motor EDC17, para se descobrir a possibilidade deste dispositivo ter sido utilizado para ajudar a enganar as autoridades. Esta situação tem causado bastante polémica, pois além do Grupo VW também modelos da FCA, Mercedes e General Motors com esta EDC estão a ser acusados de alterarem o comportamento do sistema tratamento de gases consoante a presença nos testes em ambiente controlado ou em condução regular. No caso da Bosch foram inquiridos três responsáveis, que segundo está a ser avançado, são quadros “médios” da empresa. No caso da Posche ainda não surgiu qualquer comentário a estas investigações, mas o gigante mundial da indústria de componentes já reagiu afirmando que leva estas alegações “muito a sério” e que está a cooperar com as autoridades.

 

Nos últimos dias surgiu também outro desenvolvimento importante relativo ao Dieselgate, com cinco ex-responsáveis do Grupo Volkswagen, com o ex-CEO à cabeça,  a serem alvo de mandados de captura internacional por parte da Interpol.

 

Fonte: Automotive News Europe

Partilhar