Os maiores erros ao comprar carro novo

Texto: Nuno Fatela

Aqui fica um curso rápido sobre tudo aquilo que não deve ignorar no momento em que decide comprar uma viatura. Os maiores erros ao comprar carro novo são decisões de que se vai arrepender, provavelmente, durante todos os anos em que estiver ao volante desse automóvel.

A aquisição de um novo automóvel é um momento excitante para qualquer pessoa. No entanto, esse entusiasmo pode ter efeitos perversos, como ter demasiada pressa, ignorar passos essenciais neste processo metódico ou deixar-se influenciar levando para casa mais do que deseja ou pode pagar. Para evitar que isso aconteça, deve ter em atenção várias situações, como poderá descobrir agora neste artigo com os maiores erros ao comprar carro novo.

Não fazer o trabalho de casa
“Abençoada internet”. As novas tecnologias permitem ver em casa (por exemplo através do site da Turbo), todos os simuladores das marcas, comparando preços, motorizações e outras informações.
Além disso, na Turbo levamos até si os ensaios aos novos modelos que chegam ao mercado, para que saiba dados como os consumos reais ou comportamento do carro. Além dos prós e contra de cada carro, ainda pode avaliar rivais nos nossos Comparativos.
Escolher Mal
Após a compra da casa, o carro é habitualmente o segundo investimento mais avultado. Assim deve pensar bem naquilo que precisa.
Deve avaliar as características que necessita num carro. Um monovolume para um solteiro ou um diesel para quem faz 10.000 quilómetros por ano não costumam ser decisões sensatas. Como ter um Fórmula 1 na cidade…
O mau timing
No início do ano os vendedores, normalmente acabados de receber os seus objetivos anuais, não estão com muita pressa. A partir do início do segundo semestre, com os prazos a apertar, podem estar dispostos a maiores esforços para o convencer.
Ter pressa
Dizer que precisa de um carro “para ontem”, é normalmente um convite para que lhe seja vendido o que estiver disponível imediatamente em stock. Estas “ocasiões especiais” podem não ser sempre aquilo que necessita.
A atitude contrária, de despreocupação com prazos, pode ter um efeito inverso. Ou seja, quase como um apaixonado desprezado, o vendedor pode fazer maiores esforços para garantir que você não deixa o espaço sem escolher carro.
Visitar apenas um concessionário
Como sabe, a maior parte das marcas têm vários concessionários. Se visitar apenas um deles, vai pensar nesse preço como a única hipótese. Mas, até pelas diferenças de equipamentos, pode existir para o mesmo veículo outro preço melhor que no primeiro espaço.
Ao saber que está a fazer um périplo pelos representantes, o seu interlocutor sabe que encontrou um cliente precavido. Após as visitas deve manter a linha de contacto aberta. Ao informar que tem um preço mais baixo, convencer outro vendedor a melhorar a sua proposta.
Vender mal um usado
O seu carro atual é um ativo que não deve desprezar e se não existir margem de manobra em outros campos, pode sempre tentar que valorizem mais a sua viatura.
A diferença da proposta pelo seu carro esbater o custo inferior do novo carro em determinada marca, pelo que deve fazer bem estas contas. Além disso, pode sempre recorrer à venda particular pela internet, muitas vezes consegue-se obter um valor mais alto.
Não fazer um test-drive
Parece incrível, mas algumas pessoas só experimentam o carro depois de já terem passado o cheque. Cada condutor tem os seus hábitos e preferências, e desse assegurar-se que o carro novo cumpre esses requisitos.
Não basta dar uma volta ao quarteirão atrás do concessionário. Tente dar uma volta “mista”, com percursos urbanos e vias rápidas, ou pelo menos fazer uma volta que replique os seus trajetos quotidianos.
Não investigar o financiamento
Provavelmente a marca até lhe faz uma proposta melhor, mas não custa nada deslocar-se à sua instituição bancária habitual para tentar obter um negócio mais favorável.
Regatear é sempre uma opção. Além disso, leia todo o contrato, por vezes é nas letras pequenas que se escondem os maiores encargos.
Não se entusiasme. Estabeleça o seu teto e não o ultrapasse ou opte por um financiamento a mais anos.
Conhecer a lista de extras
Deve sempre estar atento ao que são os atributos que são oferecidos de série e aqueles que são opcionais.
Alguns gadgets podem parecer muito giros, mas passados três meses já estará farto deles. E existem vários extras que quase nunca vai utilizar.
Mesmo que por vezes tenha de esperar um pouco mais pela viatura, sempre é melhor do que passar anos a olhar para um elemento no carro e pensar “porque é que eu paguei por aquilo?”.
Ter cuidado com o timing
Completar a compra de um carro e descobrir depois que na semana seguinte havia uma campanha não é nada agradável.
Seja pela baixa do preço do carro ou pelo valor adicional a pagar pelos usados, esperar por estas iniciativas pode significar uma poupança de milhares de euros.

Fonte: Autobild.es, E-Konomista e mais sites

Partilhar