Novo Leaf em dezembro… autonomia de 500 Km só em 2020


Data: 25 Maio, 2017

O novo Leaf chega a Portugal em dezembro mas antes, em julho, a Nissan lança a nova geração do Qashqai. O primeiro verá a autonomia alargada (ao redor de 400km) enquanto o “rei” dos Crossover será mais “hi-tech”

Guillaume Masurel, número 1 da Nissan em Portugal, confirmou que o Nissan Leaf vai chegar no final do ano, enquanto a nova geração do Qashqai é comercializada já em julho. Segundo algumas fontes, o novo Leaf poderá ter uma autonomia próxima dos 400 km, para dois anos depois poder mesmo ultrapassar os 500 km. Recorde-se que o “primo” Renault Zoe já anuncia 400 km de autonomia mas utiliza baterias e motor diferentes.

Já a revisão estilística do Qashqai será acompanhada da incorporação de conteúdos importantes, como é o caso do novo cruise control adaptativo e do sistema que monitoriza o trafego na traseira, bem como de outros dispositivos essenciais para o objetivo da condução autónoma em que a Nissan está fortemente envolvida.

 

A única imagem divulgada até ao momento do futuro Nissan Leaf mostra uma clara aposta na vertente tecnológica.

 

Os dois temas foram abordados por Guillaume Masurel num encontro com os jornalistas, durante o qual o responsável máximo pela Nissan em Portugal se congratulou com o facto de, no ano fiscal que terminou em março (de abril de 2016 a março de 2017), a marca ter consolidado a liderança entre os construtores asiáticos que operam no nosso país. Guillaume Masurel, sublinhou, ainda, o terceiro lugar que a marca ocupa nas preferências dos clientes particulares.

Partindo para uma análise mais “fina”, Masurel sublinhou a liderança da Nissan entre os veículos elétricos, o mesmo acontecendo com os “Crossover”, segmento em que a marca chama a si 20,5% das vendas, contra 14,2% da Renault e 14,0% da BMW.

A boa aceitação que está a caracterizar a chegada da nova geração Micra, bem como a evolução do Qashqai e do Leaf são as razões invocadas por Guillaume Masurel para justificar a confiança que deposita no facto de o ano fiscal em curso venha a registar resultados ainda melhores.

 

(notícia atualizada)

Partilhar