Nissan culpada de fraude de emissões na Coreia do Sul

Texto: Nuno Fatela

As autoridades sul-coreanas consideram que foi utilizado no Qashqai um software ilegal de manipulação das emissões.

Um tribunal coreano considerou a Nissan culpada de utilizar um defeat device, software para alteração das emissões, no Qashqai, aplicando à marca uma multa no valor de 263000€. Além disso, suspendeu também a venda do crossover no país e obrigou o fabricante nipónico a recolher 814 unidades deste modelo. O tribunal de Seul que analisou o caso considerou que “é razoável acreditar que o veículo em causa obteve a certificação com meios falsos e ilegais”, sendo esta a razão para o seu veridito. A Nissan, no entanto, já refutou esta acusação e além de dizer que as decisões tomadas na Coreia do Sul são “lamentáveis”, indica ainda que “não mudamos a nossa afirmação de que não utilizámos nenhum dispositivo ilegal nos nossos veículos”. A marca disse ainda que pondera tomar ações futuramente sobre esta decisão do tribunal, neste caso que coloca sob fogo o Nissan Qashqai produzido na fábrica de Sunderland, Inglaterra, e que utiliza os motores 1.6 diesel fornecidos pela sua parceira de aliança, a Renault. De referir ainda que, ao contrário do que tem acontecido com outros fabricantes, como a Fiat-Chrysler, a Renault e também a PSA (hoje referida pelas autoridades francesas), a Nissan apenas está sob investigação devido a alegadas fraudes de emissões na Coreia do Sul, não tendo sido referida em nenhum dos processos de averiguação que decorrem em diversos países da Europa.