Modelos especiais tiram Lotus do vermelho

Texto: André Bettencourt Rodrigues

A Lotus acaba de anunciar uma reviravolta impressionante na sua saúde financeira, levando-a terminar o ano fiscal de 2016-2017 com 2,6 milhões de dólares de lucro. Este resultado é ainda mais significativo considerando que a marca britânica detida hoje pelos chineses da Geely, após a compra do emblema aos malaios da Proton, tinha registado uma perda de 21 milhões de dólares antes de impostos no ano fiscal anterior, mesmo que após as taxas, depreciação e amortização o número seja mais favorável, de ‘apenas’ 14,5 milhões.

Leia também: Lotus homenageia Esprit de James Bond

A melhoria dos seus resultados está diretamente relacionada com a aposta em modelos especiais e não no lançamento de novos modelos, com a marca a apresentar uma gama consideravelmente envelhecida, mesmo para um fabricante de nicho. Da lista fazem parte o novo Evora GT430, mas também o Exige Cup 380, Elise Sprint, Exige Sport 380, Exige 350 Special Edition e Elise 250 Special Edition — todos lançados para o mercado nos últimos 12 meses.

De acordo com o CEO da Lotus Car, Jean-Marc Gales, os atuais Exige e Elise irão continuar a ser explorados até 2020, década em que os sucessores devem ser lançados.

 

 

Partilhar