Mercedes desmonta Tesla Model X e compromete-se

Texto: Miguel Policarpo

O estudo da concorrência é uma prática comum entre os fabricantes de automóveis, mas esta atividade deve ser feita com algumas cautelas. E a Mercedes, aparentemente, descuidou-se ao testar e desmontar um Tesla Model X

Diz a velha frase que o material tem sempre razão e a Mercedes deverá saber isso melhor do que ninguém. Ou deveria. Ao alugar um Tesla Model X para testes os germânicos deixaram um (grande) rasto. Vamos por partes…

Reporta o Der Spiegel, meio de comunicação alemão, que a Daimler, proprietária da Mercedes, alugou um Tesla Model X de 100 kWh da empresa rent-a-car ‘Sixt’. O automóvel pertence a um casal da Baviera, Monika Kindlein e Manfred van Rinsum, proprietário de mais outros dois Tesla, e que usualmente coloca os automóveis disponíveis para aluguer para eventos como casamentos e festas, obtendo desta forma algum lucro.

Desconhecendo os reais proprietários do Tesla Model S, a Mercedes levou o carro a dar umas no circuito de Sinderfingen, perto de Estugarda, onde foi submetido a testes de calor e de vibração. Daí, a autonomia deve ter sido outro parâmetro testado, uma vez que o Model S seguiu para Barcelona – uma extensa viagem que representa desde logo uma quebra do contrato de aluguer. E outras violações são a circulação em pistas de testes e, obviamente, a desmontagem da viatura. Esta situação ficou comprovada pois percursos e localização foram registados no GPS.

Leia também: Incrível: Model X supera Aventador em corrida de drag!

A cereja no topo do bolo foi quando o casal encontrou no porta-luvas uma nota a dizer “Estacionou incorretamente”, um papel proveniente do Centro de Tecnologia da Mercedes-Benz em Sindelfingen. Desta forma, identificou-se a quem foi feito o aluguer.

Parece, desde logo, caricato que a Mercedes alugue uma viatura para testes ao invés de a comprar, pois isso evitaria situações como estas. Mas mais inusitado é o facto de que os alemães deixaram  rasto da desmontagem e dos testes realizados. De acordo com a mesma fonte, a Sixt pagou 15,674€ pelos prejuízos e mais 2,000€ pelo valor estimado de depreciação resultante.

No entanto, o casal considera que os valores são insuficientes e apresentou uma fatura de reparação à Sixt – fatura que foi enviada depois para a Mercedes – onde indica um custo de 99,392.70€. A estes quase 100 mil euros junta-se um pedido de 1000€ de indemnização por cada dia que o carro circulou em pistas de testes, e um pagamento para acordo de confidencialidade. Os proprietários, no entanto, estão conscientes de que podem não receber integralmente estes valores, uma vez que os recursos jurídicos de ambas as entidades envolvidas no caso são bastante superiores aos de que dispõe.

Leia também: Tesla Roadster regressa para esmagar!

Desta forma, se o caso avançar para tribunal, o casal teme não receber o montante que considera ser justo. A Daimler disse ao Der Spiegel que o aluguer de viaturas para comparações é usual, e que, caso existam danos, são accionados os seguros e chega-se a um acordo que sirva ambas as partes.

Aguardemos pelo desfecho deste caso (se for divulgado ao público). Ainda assim, pelo menos o caso foi com um Tesla Model X. Imagine a fatura se a Mercedes decidir desmontar e testar o futuro camião elétrico da Tesla

Partilhar