Mercedes Classe G – Nova suspensão e atributos para off-road (ainda) mais extremo

Texto: Nuno Fatela
Data: 4 Janeiro, 2018

A Mercedes começou a revelar os dados técnicos sobre o novo G-Wagen, dando a conhecer algumas das novas armas para garantir a capacidade para ir ainda mais além. Um trabalho para o qual contribuem a nova suspensão, desenvolvida com a AMG, as alterações na transmissão e ainda os apoios digitais que surgem com o novo Mercedes Classe G.

Após o primeiro teaser, que anuncia que o icónico design vai ser conservado, a Mercedes revelou que existem no entanto alterações importantes para o Classe G. Com apresentação marcada para o Salão de Detroit, a meio de janeiro, o modelo irá reforçar as suas capacidades off-road de excelência, através de modificações na suspensão e transmissão. Além disso, também irá passar a contar com novas armas oriundas do mundo digital, de forma a garantir que este emblemático automóvel permanece um “trota-mundos” num patamar acima de todos os outros rivais.

A Mercedes revela que o desenvolvimento do novo Classe G teve um período alargado de testes no icónico Schockl, a montanha de 1445 metros de altura perto de Graz, na Áustria, onde todos os antecessores tiveram de prestar provas. Esta escolha explica-se pelo desafio extremo que a rota de 5,6km representa. Ultrapassado num total superior a 2000km de provas, as adversidades colocadas pelos 60º de inclinações verticais e 40º nas laterais garantem que nada será mesmo capaz de travar o mítico off-roader.

 

Suspensão

Mantem-se a opção pelo chassis de longarinas que surge desde os anos 70, com o original G-Wagen, utilizando ainda os três diferenciais a 100% e redutoras. A nova suspensão foi criada especialmente para este modelo, com a cooperação da AMG, o que deu origem a uma configuração com triângulos duplos na dianteira e eixo traseiro rígido. É igualmente destacada pela Mercedes a preocupação em ganhar cada milímetro possível de distância ao solo, a que se junta uma elevada rigidez do Classe G graças à utilização da barra de torsão.

 

A suspensão está diretamente fixada ao chassis, sem qualquer subchassis, estando o triângulo inferior colocado numa posição em “Z” de forma a estar o mais elevado possível. Isto com o objetivo de oferecer a máxima confiança e dirigibilidade ao abandonar o asfalto. A marca da estrela afirma mesmo que a suspensão do novo Classe G foi criada de forma tão robusta que ele vai conseguir levar mais além as estupendas capacidades off-road e performance em estrada dos antecessores.

Como tal, a Mercedes desvendou algumas das especificações do Classe G:
  • Distância ao solo de 241mm entre os dois eixos (+6mm)
  • Passagem em vau até 70cm de água ou lama (+10cm)
  • Estabilidade de condução com ângulos até 35º (+7º)
  • Ângulo de ataque de 31º (+1º) e de saída de 30º
  • Ângulo ventral de 265º (+1º)
  • Curso superior da suspensão, com distância mola/amortecedor de 85mm/100mm na dianteira e de 82mm/142mm na traseira.

 

Transmissão e novos atributos para off-road extremo

Uma das novidades na próxima geração do Classe G estará na introdução de um novo G-Mode. Ele será ativado, de forma independente, sempre que sejam requisitadas as redutoras ou um dos diferenciais, adaptando o amortecimento, direção e acelerador, e evitando passagens desnecessárias de caixa. Isto garante maior facilidade para superar os obstáculos, e os condutores são saber que ele está ativado graças ao ícone “G” que surge no painel de instrumentos. A Mercedes afirma que este novo G-Mode vai, literalmente, engolir as grandes lombas e evitar que o condutor tenha de estar ‘agarrado com unhas e dentes’ ao volante.

Outro destaque é a nova transmissão 9G-Tronic com conversor de binário, que foi programada especificamente para este modelo. O foco neste trabalho esteve na rapidez das passagens de caixa, através da afinação do software. Além disso, a marca afirma que a condução será agora mais confortável, especialmente a velocidades mais baixas, e também aumenta a eficiência do novo Mercedes Classe G.

A caixa de transferência está agora montada com ligação direta à 9G-Tronic e foi ajustada para enviar 40% do binário para a dianteira e os restantes 60% para o eixo traseiro. Isto irá garantir, em combinação com a tração integral, máxima aderência ao G-Wagen mesmo ao lidar com os mais desafiantes obstáculos. É ainda destacado que o modo N da transmissão, com auxílio das redutoras, garante uma passagem de um ratio das mudanças de 1.00 para 2.93. Ele será acionável até aos 40km/h, e a passagem inversa efetua-se no máximo aos 70km/h. A Mercedes refere que este ratio, mais curto que os anteriores 2.1, irá ser fácil de comprovar especialmente ao arrancar em planos mais inclinados.

 

Um dos últimos trunfos para maior eficácia nas viagens dos condutores do Classe G ‘até ao fim do mundo’ irá ser a visão 360º, obtida pelas três câmaras que se juntam à que já era utilizada para auxílio nas manobras de marcha-atrás. As informações podem ser vistas no ecrã de infotainment do novo habitáculo, permitindo obter vários ângulos da imagem e o apoio de linhas dinâmicas que orientam o condutor pelo percurso. Junta-se ainda o designado “off-road screen”, especialmente desenvolvido para oferecer informações como as inclinações a superar, a altura, diferenciais ativados e outros dados importantes para quem se deseja aventurar na experiência off-road mais extrema…

 

Partilhar