Conheça o Skoda Karoq ao mais ínfimo detalhe

É o segundo SUV da Skoda, agora para a marca checa jogar no ultra competitivo (e lucrativo!) segmento dos SUV compactos, onde irá defrontar sucessos como o Nissan Qashqai, Seat Ateca ou Peugeot 3008. E, futuramente, o VW T-Roc que será fabricado em Palmela. Chama-se Karoq e, apesar de só chegar ao nosso mercado durante o primeiro trimestre de 2018, ficámos a conhecê-lo ontem, numa apresentação realizada de Estocolmo (Suécia)… para o Mundo!

E a expressão não é exagerada, pois a marca checa reuniu mais de 400 jornalistas de 29 países, nomeadamente da China que já é o mercado mais importante para a Skoda. E onde o Karoq também será produzido a partir de Novembro, quatro meses depois de iniciar a produção na Europa (Julho).

 

Mas comecemos… pelo princípio. Karoq? Que nome é este? A Skoda regressou à ilha Kodiaq, a tal que fica no sul do Alasca e onde foi buscar o nome para o seu grande SUV que está a chegar ao mercado nacional. Pois Karoq nasceu da aglutinação de duas palavras do dialecto dos Alutiiq, os indígenas daquela ilha: “Kaa’raq” (carro) e “Ruq” (flecha). E, revelando que ainda estará para chegar mais um SUV à sua gama, já fez saber que o nome terá a mesma proveniência e semelhante grafismo…

 

Foquemo-nos, contudo, no carro que a Skoda nos deu ontem a conhecer, actualmente em fase dos últimos retoques antes da produção, depois de quatro anos de desenvolvimento e de mais de 2,5 milhões de quilómetros de testes cumpridos! O Karoq tem um ar extremamente compacto, com uma linha que adopta a nova linguagem de «design» estreada pelo Kodiaq, sendo difícil resistir à tentação de o definir como um Kodiaq mais pequeno… Construído sobre a plataforma MQB do Grupo VW, partilha a distância entre eixos (2,63 m) com o Seat Ateca, sendo apenas 2 cm mais comprido, com 4,38 m.

 

O Skoda Karoq é, assim, praticamente do mesmo tamanho do Ateca e do Nissan Qashqai, ficando apenas ligeiramente atrás do Peugeot 3008. Apesar disso, oferece excelente espaço interior, mesmo para as pernas dos passageiros de trás, e uma bagageira referencial do segmento, com mais 80 litros que a do carro francês: 521 litros, desde que equipado com os bancos VarioFlex que podem ser ajustados longitudinalmente e de forma isolada, colocando-os mais para a frente; se quisermos usufruir do máximo de espaço para pernas, é empurrar os bancos todos para trás e a mala fica reduzida a 479 litros. Com as costas dos bancos rebatidas a volumetria sobe para 1630 litros mas os três bancos individuais do VarioFlex podem até ser retirados, libertando um volume de 1810 litros!

 

Em termos de motorizações, a atenção irá, certamente, para as versões Diesel, com o 1.6 TDI de 115 cv e o 2.0 TDI em duas variantes, de 150 e 190 cv. Esta última apenas estará disponível com caixa automática de 7 velocidades e tracção integral. Mas o Karoq também terá dois dos mais modernos propulsores a gasolina do Grupo VW, o 1.0 TSI (tricilíndrico turbo) de 115 cv e o recentíssimo 1.5 TSI de 150 cv. Todas as versões têm escolha entre caixa manual de seis velocidades ou, em opção, a automática de sete.

 

A Skoda pode ter chamado a atenção para os equipamentos que o Karoq terá, como os faróis em LED’s, um selector de modos de condução e toda a panóplia de ajudas electrónicas à condução, como assistentes de estacionamento e de manutenção em faixa, detector de obstáculos no ângulo morto, “cruise control” adaptativo, sistema de travagem de emergência com detecção de obstáculos ou sistema de reconhecimento de sinais de trânsito e de peões. Mas dá particular ênfase à capacidade de conectividade do novo modelo que permite transformar o seu interior num “hotspot” para permanente acesso à Internet – desde que o condutor tenha um cartão SIM… –, além da compatibilidade com os sistemas Apple CarPlay, Android Auto e MirrorLink. Outra novidade (em opção) é o painel de instrumentos digital, bem ao género do «virtual cockpit» da Audi.

 

A primeira impressão do Skoda Karoq, apenas estática, foi deveras positiva, em especial se a Skoda juntar à tradicional boa relação espaço/equipamento/qualidade um preço bem em conta! Aí, este Karoq poderá tornar-se num «player» importante num segmento que triplicou de volume nos últimos cinco anos!