Audi A8 vai estar “ligado à corrente”

A utilização de um sistema híbrido com corrente de 48V para componentes que reduzem consideravelmente os consumos e emissões vai ser uma realidade no próximo topo de gama de Ingolstadt.

 

A Audi deu a conhecer mais uma imagem sobre o novo A8, modelo que será desvendado a 11 de julho durante a Audi Summit, um evento que vai realizar-se em Barcelona. A nova foto não revela qualquer detalhe do exterior ou interior, mas oferece-nos o vislumbre sobre uma tecnologia que será importante tanto nos consumos como na suavidade de rolamento do automóvel. Isto porque, após ter estreado a tecnologia com o seu SUV de referência, o SQ7, a marca germânica confirmou que o sistema híbrido de 48 Volts também vai ser implementado no novo Audi A8.

 

O fabricante dos quatro anéis confirmou que esta tecnologia vai ser fulcral para fornecer corrente a novos componentes, tendo já destacado que um deles será um motor de arranque / alternador designado BAS (tecnologia considerada uma das soluções para salvar os diesel), que se coneta a um segundo e convencional motor de arranque, utilizado apenas para o arranque a frio. A marca refere duas grandes situações de condução em que este sistema oferece melhorias ao A8, que serão no start&stop em momentos de maior engarrafamento e sinais vermelhos, a que se junta o início e fim da função “à vela” (coasting) do motor.

 

No primeiro caso referido a Audi recorre à predição do arranque para ligar o motor quando o modelo volta a preparar-se para iniciar a marcha. Isto significa que mesmo quando o condutor ainda tem o pé no pedal do travão, e recorrendo às informações tanto dos sensores como da câmara dianteira, o BAS recoloca o carro em funcionamento. Além disso, e reconhecendo as diversas situações de condução, caso a estrada em frente esteja totalmente livre o motor de arranque de 48 volts garante uma ignição rápida, mas caso o trânsito esteja congestionado e o condutor queira utilizar em simultâneo o ar condicionado, o acionamento do motor de combustão será mais suave.

 

A isto junta-se a entrada em execução e a cessação dos momentos em que o motor de combustão é desligado na função à vela (coasting), por exemplo quando encontra descidas, que pode funcionar entre os 55km/h e os 160km/h no audi A8. Segundo refere a marca, nestes casos o BAS permite uma maior suavidade nas transições, de forma a que o condutor não repare que o motor está a ser desligado ou a voltar a entrar em ação.

 

A marca alemã refere que o novo BAS do Audi A8 recorre a um novo sistema de gestão do motor mais evoluído e onde está contemplada a análise aos dados da navegação e  dos sensores e câmaras. Recorrendo a uma bateria de iões de lítio como acumulador e a uma corrente de 48 volts, o fabricante fez já as contas à poupança que este sistema confere ao seu futuro topo de gama. Se a descida dos valores de consumos, cifrada nos 0,7l/100km, apesar de ser relevante pode não parecer um registo de monta, o mesmo não se pode dizer sobre as equivalentes 23g/km de CO2 que o Audi A8 deixa de emitir, e que podem ter um impacto de monta na taxação do automóvel.

 

Partilhar